quarta-feira, 29 de abril de 2009

Fatos e análises.

Existem coisas que são incontestáveis. Talvez a principal delas seja os fatos. Contra fatos não há argumentos!

O Grêmio terminou a primeira fase da Copa com a melhor campanha, o melhor ataque e a melhor defesa dentre os 32 participantes. Isto é fato, e, portanto, não se contesta.

Alguns poderão alegar que enfrentamos apenas adversários fracos. Isto também é fato. Porém é inegável que, mesmo diante de times sofríveis, fizemos nossa obrigação, deixando apenas de atingir os 100% em face capricho da trave ou da excessiva tensão que o Sr. Roth transmitia ao grupo de jogadores (bastou ele sair e as vitórias voltaram a ser obtitdas com total autoridade, sem aquela celeuma de bolas na trave e de incríveis gols perdidos!).

Este é um lado da moeda, que deve ser valorizado e comemorado. Afinal, garantimos o direito de decidir todas as próximas fases no nosso templo sagrado (se bem que, diferentemente de outros clubes, não necessitamos decidir em casa. Sabemos muito bem festejar na casa dos outros!).

Todavia, sem negar os fatos, é imperioso que se proceda à análise da primeira fase sobre outro prisma: o prisma da futebol apresentado.

O futebol que apresentamos na primeira fase não deixou a torcida tranquila. Tivemos muitos altos e baixos (vide a diferença de atuação entre a primeira e a segunda etapa do jogo de ontem). É visível a necessidade de reforços, em especial de um camisa 5 e de um homem para a armação (pois o Tcheco está deixando muito a desejar). Aliás, depois do segundo tempo de ontem, acrescentaria ainda a necessidade de um zagueiro, pois o R. Marques, com todo o respeito, não tem condições.

Por outro lado, a esperança de título resta alimentada pelas grandes atuações do nosso goleiro e pela qualidade incontestável do Souza. O cara está jogando demais! Aliás, vamos convir: raça e superação são imprescindíveis, mas como é bom ter qualidade! Como é bom ter alguém que faça uma jogada diferenciada, que tenha visão de jogo e que possa, com um simples toque, desmontar a defesa adversária. Parafraseando a música: "ah, se todos (poderia ser só alguns!) fossem iguais a você!"

Agora é esperar o adversário, e aproveitar o tempo para buscar o técnico e, principalmente, reforços de qualidade. Creio que, com mais uns três jogadores de nível, seremos sérios candidatos ao título.

Dá-lhe "copero"!


6 comentários:

adriano disse...

Perfeita a análise! Não da pra acreditar que essa direção vai cometer o mesmo erro do ano passado, quando deixaram de buscar um ou dois jogadores pra titularidade e perderam o campeonato. Chega dessa história de jogar sempre com a corda esticada. Tem que ter altenativas. Semana que vem tem oitavas de final e não chegou nenhum jogador para substituir o Tcheco em seus previsiveis apagões e um volante com experiencia e bom futebol. Será que ainda vamos ter o Orteman inscrito para a próxima fase? Ter esse jogador como opção pro meio de campo em plena libertadores é um grande sinal de que não houve competencia no planejamento.

Jésura disse...

Caros blogremistas, apesar de o otimismo ser quase meu sobrenome (o meu senso de realismo é sempre negligenciado quando se trata do Grêmio), tem um fator que tem me tirado o sono. Estamos arriscando uma situação que está bem encaminhada em função da indefinição do técnico. Rospide é muito inexperiente para enfrentar um mata-mata de Liberdores; esperar a chegada e a adaptação de um novo técnico em meio a fases decisivas, ainda que seja o grande Autuori, também me parece temeroso. Vencer a Libertadores em situação tão peculiar será mais um grande feito do Grêmio? Não vou mais falar em intuição, pois a minha não é confiável...

Luiz Fernando disse...

pois é, Jésura!
Eu tb acho temeroso!
PAra mim, fica evidente o problema q nos acompanha faz algum tempo: falta de planejamento e de uma política séria de futebol.
PAra não ser injusto, vou elogiar a conduta da direção, que, desde hoje, mesmo sem ainda saber o adversário, já fez as reservas de hotéis no Uruguai e no Peru. Sei que isso não
significa quase nada, mas pode ser interpretado como um sinal de que as coisas estão mudando (aos poucos, mas estão!).
abraço

Luiz Fernando disse...

pois é, Jésura!
Eu tb acho temeroso!
PAra mim, fica evidente o problema q nos acompanha faz algum tempo: falta de planejamento e de uma política séria de futebol.
PAra não ser injusto, vou elogiar a conduta da direção, que, desde hoje, mesmo sem ainda saber o adversário, já fez as reservas de hotéis no Uruguai e no Peru. Sei que isso não
significa quase nada, mas pode ser interpretado como um sinal de que as coisas estão mudando (aos poucos, mas estão!).
abraço

Eduardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo disse...

Pois bem. Final da primeira fase da única competição que realmente importa na América que joga bola com os pés. Temos com o adversário o Universidad San Martín, que conseguiu a proeza de perder por 3 a 0, para um fraquíssimo River Plate,que em nada lembra o o temido River de outrora.
Por mais que eu ache que não se pode contar com a vitória antes da hora e mesmo sendo conhecedor da temeridade em escrever em um blog visitado por hinchas de todos esses pagos que cercam a República do Plata, não creio que o Tricolor Farroupilha seja eliminado pelos peruanos. Não sem o sr. Juarez, que tanto gostava de fazer uma boa ação para times desse nível.
Então, passando às quartas, enfrentaremos o vencedor de Caracas vs.Deportivo Cuenca. Adversários sem "grife" como diria o outro, mas que gostam de complicar, e aqui tem-se espaço as surpresas de La Copa, que tanto tem aparecido nesse começo de século, com LDU's, Onces, Fluminenses e outros Verminículos.
Passando, meus caros amigos, estaremos na Semi, no pedaço que nos cabe nesse latifúndio, jogando no Monumental, com nossa torcida empurrando os imperialistas pra cima do Mampituba. E depois disso...o Bochincho tá armado!!!

Faço um adendo, dizendo que esse primeiro jogo vai ser providencial, já que está mais que claro, que, possivelmente, se o Rospide não for efetivado ou apareça o fax do pré-contrato do Sir Alex Ferguson, o Autuori chegue lá pelo dia 20. Tu já imaginou ter jogar em Montivideo numa hora dessas?

E nosso primeiro volante chega sexta em Porto Alegre. Túlio, ex-Botafogo. Honestamente, não lembro dele, mas como a nossa primeira volância está mais deserta que cidade de faroeste, deve chegar pra ser titular.

Coparemos!