terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Os "criticistas".

Com base em discussões e dados extraídos da "psicologia de bar", evindencia-se a existência de três tipos de pessoas na sociedade contemporânea: os alienados, os críticos e os "criticistas". Os primeiros pouco ou nada sabem dos fatos e não detém opinião formada sobre nada. Os segundos analisam minuciosamente os acontecimentos e se posicionam, de forma fundamentada, a favor ou contra (sem medo de reconhecer eventuais equívocos nas suas opiniões). Os terceiros, que se proliferam mais que pulga em cusco velho, adotam a conduta mais prática de todas: criticam a tudo, sempre afirmando que está tudo errado e que deste jeito não pode dar certo.

Os "criticistas" possuem um ar de grandes mestres, assumindo a posição de bodoque e atacando - pela simples arte da atacar - toda e qualquer ação praticada por terceiros. Não analisam as circunstâncias peculiares da situação e tampouco apresentam alguma outra solução viável. Simplesmente criticam!

Toda essa filosofia/psicologia/sociologia de bar, trazida à tona no presente post, tem por escopo mostrar minha indignação com grande parte da nossa imprensa (vermelha, vai toma no c!)!

Estou realmente de saco cheio desta gente que critica jogador sem ao menos dar uma chance de vê-lo jogar com o manto tricolor. Dessa gente que pede contratações "de peso", daquelas que lotam o aeroporto. Que a cada certame afirma que "com esse time o Grêmio não vai longe", e depois fica em uma enorme secação para não morder a língua. Essa gente que, em 2005, afirmava categoricamente que o tricolor não possuía nenhum jogador de valor na suas categorias de base, e que depois teve que engolir Anderson, Lucas, Carlos Eduardo, Rafael Carioca, dentre outros.

Pois esta parte da imprensa, que se julga acima do bem e do mal e se diz detentora de toda e qualquer verdade, já iniciou seus ataques contra o nosso novo atacante.

Eu não tenho procuração para defender o Alex Mineiro. Tampouco acho que ele seja o craque que solucionará todos os nossos problemas. Sei que tem idade avançada e que muitos dos seus gols derivam da conversão de penalidades máximas. Particularmente, preferia o Fred, o Kléber Pereira, o Keirrisson ou então o Palácios. Na verdade poderiam trazer o Messi ou, quiçá, o C. Ronaldo.

Mas não sejamos ingênuos! Não temos condições de bancar contratações deste porte. Bancar jogadores caros não significa sucesso (olha o Fluminense, este ano!) e trará, com certeza, desequilíbrios na já combalida situação financeira do noso clube. Toda e qualquer contratação do imortal deve ser analisada levando-se em consideração nossa situação atual, que ainda requer muitos cuidados.

Portanto, antes de cair de pau no cara, vamos deixar ele jogar um pouco. Ele pode não ser o melhor atacante da atualidade, mas é um dos melhores para a nossa atual realidade. Como diria o sapo barbudo versão light: "Deixem o homi trabaiá!".

Certamente os "criticistas" me acusarão de não ter ambição e de não querer ganhar a Libertadores. Nem deveria responder a essa gente, pois como dizia meu saudoso pai: "Explicação a gente dá para porteiro de boate, quando que entrar de graça!" Porém apenas lembro duas coisas: a) as equipes de 1983 e, principalmente, de 1995 não eram equipes caras, com jogadores consagrados. Eram times que mesclavam atletas experientes com jovens pratas da casa, cuja consagração, salvo honrosas exceções (Tita, por exemplo), somente foi obtida após a conquita da Copa; b) estes mesmos "criticistas", em caso de derrota na Libertadores, vão aproveitar a ocasião (como sempre fazem!) para afirmar que: "time caro não é garantia de successo""; "E agora? O Grêmio não ganhou a Libertadores e novamente afundou em dívidas. A série B é questão de tempo"; "Sempre falamos, aqui nesta rádio, que a prepotência desta direção iria quebrar metade do Rio Grande; na situação atual, o Grêmio não poderia contratar desta forma."

É obvio que só o Alex Mineiro não basta. Precisamos contratar mais e de forma muito criteriosa, pois, na atual situação, não nos é permitido errar. Não queremos o time dos sonhos; queremos apenas uma equipe competitiva, que possa jogar a Libertadores com chances de vencer. Enfim, sempre cientes da nossa realidade financeira, queremos jogadores de qualidade (não necessariamente caros!), que façam o Grêmio voltar a ser um clube vencedor.

Aproveito para desejar a todos que lêem este blog um feliz natal e um 2009 totalmente azul, com a reconquista da Libertadores. Ano que vem é ano ímpar! E em ano ímpar a Libertadores não dá chance para zebras. Lembrem que Once Caldas e LDU venceram o certame em anos pares (2004 e 2008).




terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Roth fica. Nosso presente (grego) de natal!

Depois de um ano cheio de tensões, um certo êxito pela vaga na libertadores e muitas expectativas frustradas; as férias estão chegando. É hora de relaxar, descansar e concentrar para a libertadores, nosso fetiche. Pensei que havia pela frente um mês e meio de tranqüilidade suficiente para amenizar as frustrações do vice-campeonato. Pensei que o tempo seria de lamber as feridas, avaliar as ações, identificar os erros e planejar um 2009 dos nossos sonhos.

Em menos de uma semana minha presunção de que tempos melhores viriam foi solapada com as ultimas notícias do tricolor. Pra começar, a absurda renovação do Roth por 220 mil por mês. Essa foi de chorar, e dizem que o cara de pau pediu 300 mil. Eu já era da idéia de mandá-lo embora depois do jogo contra o vitória. Renovar nem pensar. Mas admito que ponderação não é meu forte.

Se fosse pra mantê-lo, deveria ter sido oferecido no máximo 100 mil e investido o restante em salário pra dois bons jogadores. Mas não! Vão insistir com essa naba torrando, repito, 220 mil mensais. Quando a diretoria fala da permanência do Roth exalta o fato dele conhecer o grupo. Mas pergunto: que conhecimento ele tem do grupo se não conseguiu, durante o campeonato inteiro, definir o ataque gremista? Que conhecimento ele tem do grupo se não conseguiu fazer o Douglas Costa jogar? Que conhecimento ele tem do grupo se até a ultima rodada o Souza pulava de uma posição pra outra comprometendo sua seqüência no time? Que conhecimento ele tem do grupo se deixou Matione no banco mantendo Paulo Sérgio ou improvisando Souza na direita?

Na minha opinião, ele mostrou pouquíssimo conhecimento sobre futebol em geral. Vejamos: sua única indicação foi o Amaral, o que não necessita comentários. No meio do ano precisávamos reforçar o grupo. O dito cujo não foi capaz de indicar pelo menos um jogador decente pra compor o ataque. Deixou essa tarefa para o Krüguer, outro inepto.

Depois da manutenção do Roth, as notícias sobre as contratações. Wellington paulista e Ruy são os mais cotados. Pelo amor de deus... querem transformar nosso natal em sexta-feira 13. Isso não é corneta, apenas quero que em 2009 tenhamos mais pra comemorar do que as conquistas de 1983 e 1996.

Enquanto nosso departamento de futebol come moscas, bons e não tão caros jogadores vão acertando com outros clubes. Marlos do coritiba é assediado pelo 6º colocado no campeonato brasileiro, Lucio Flavio e o centroavante Souza estão perto de acertar com o Santos. E olha que esses clubes nem disputarão a libertadores.

Se as coisas não mudarem de rumo, será difícil ficar otimista.

domingo, 7 de dezembro de 2008

Vamos ao que interessa.



Acabou o campeonato dos brasileiros e não saímos campeões. Desculpas à parte: um juiz fã da Madonna, gol do título num impedimento escandaloso que até uma tetraplégica cega marcaria,mandos ( e desmandos) de campo do STJD, etc. A verdade é que, de novo, ficamos no "quase" pelas carências do time.

Não aceito as desculpas de que nossa folha salarial é de somente R$ 800 mil e a dos bambis de R$ 3 milhões. Qual valor das folhas da Portuguesa e do Vitória? Times que deixamos de ganhar fora de casa. Nem me venham com essa de que chegamos longe demais e que as perspectivas eram de uma briga contra o rebaixamento, depois das eliminações no Gauchão e na Copa do Brasil. As expectativas se adaptam e depois de 17 rodadas na liderança e 11 pontos na frente dos bambis, o mínimo que eu esperava na noite de hoje era estar estirado em coma alcoólica em alguma maca do HPS. Infelizmente, estou aqui escrevendo no blog e com uma baita ressaca moral.

Tudo bem, atingimos nosso objetivo, estamos na Libertadores. Afinal, essa é a única motivação para jogar o campeonato dos brasileiros. Nunca imaginei (e não imagino) que o Grêmio ganharia essa bosta desses pontos corridos. Porém, com a campanha do primeiro turno, passei a acreditar que dava. E continuo acreditando que dava, não fosse a falta de comando. Basta ver a morosidade dos dirigentes em questionar o local do jogo do Goiás, o que já havia sido definido há 2 semanas. Não vou perder tempo reescrevendo as outras barbaridades, se quiser saber basta fuçar o histórico do blog.

Estou muito indignado? Claro, vivemos de indignação. Se não fosse por isso, estaríamos até agora em lugares nos quais nunca deveríamos ter estado. Fecharíamos a Goethe para comemorar a suruba com a Sulamiranda. Não suporto discurso resignado e prêmios de consolação. Me dê uma medalha escrito "último lugar", mas não uma com "honra ao mérito". "Fomos longe demais", "chegamos perto", são frases que jamais escreverei. Isso que nos faz gremistas e não torcedores de escanteio.

Espero que a nova diretoria consiga montar uma equipe que tenha a alma do tricolor e liberte a América das mazelas dos últimos anos. Não é necessário gastar uma caminhão de dinheiro, basta conhecer o futebol. Tomara que o Sr. Krieger não me contrate mais Morales através do DVD. Tchê, pega um vôo para Buenos Aires e vai assistir o meia-cancha, Sebástian Rusculleda, do Tigre jogar. E, por favor, nunca mais me pronuncie as palavras "se Deus quiser o Grêmio será campeão". Se tu acreditas no divino (ao contrário de mim), saiba que ele só ajuda os competentes.

Enfim, ano que vem tem mais. Pelo menos não verei mais o Jean, Paulo Sérgio, Morales, Marcel, Pico, Perea e outros com a camisa do Grêmio. Infelizmente, o treinador será o mesmo. Vamos ter que quebrar mais esse tabu para o professor Roth.
Fiquem à vontade, me chamem de radical. Já estou acostumado. Até as freiras do maternal me indicaram uma psicóloga, mas, como vêem, não deu resultado.

ABAIXO O TAL DE FAIR PLAY !!!!!!

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

O despreparo de um dirigente....

Ao acessar o site do clicrbs, especificamente a notícia “Torcedores protestam no Olímpico inconformados por falta de ingressos”, fui obrigado a ler uma pérola do Senhor Luiz Moreira diretor adjunto administrativo e membro da Comissão de Jogos do Grêmio, que demonstrou ser um sujeito totalmente despreparado para o cargo e função que ocupa.

Transcrevo o seguir o trecho que me chamou atenção:

“Segundo Luiz Moreira, diretor-adjunto administrativo e membro da Comissão de Jogos do Grêmio, não será possível contemplar todos os torcedores.

– O Grêmio seria irresponsável se colocasse mais ingressos para vender. O problema é que o torcedor só quer ir em jogo bom. Para Grêmio e Ipatinga tinham ingressos sobrando – destacou.” (grifo meu)

Quanto à primeira frase, não há objeções, porém, é lamentável termos um diretor administrativo que complementa dizendo que: O problema é que o torcedor só quer ir em jogo bom. Para Grêmio e Ipatinga tinham ingressos sobrando – destacou.

Pergunto: você concorda que o torcedor do Grêmio só quer ir em jogo bom ???????


Isto mostra a total falta de informação do pseudo-dirigente e o desrespeito com o torcedor gremista, pois basta acessarmos o site oficial da CBF para verificamos que o Grêmio é o 2º colocado em rendas e em média de público neste Brasileirão/2008, com 31.075 pagantes por jogo.

Quanto ao jogo aludido pelo Sr. Moreira, ao acessarmos o borderô, verificamos que mais de 28.000 gremistas pagaram ingresso para o jogo realizado no dia 06/08/2008, uma quinta-feira, no péssimo horário das 19:30 h. Mas, incrivelmente, na visão distorcida dele, a torcida só quer ir em jogo bom.

Para quem quiser conferir, a notícia pode ser acessada pelo link:

http://www.clicrbs.com.br/clicesportes/jsp/default.jsp?newsID=a2318844.htm&subTab=00065&uf=1&local=1&template=3858.dwt&section=Notícias

Apesar deste tipo de manifestação do dirigente, no domingo, todos rumo ao Olímpico e ao Tri do Brasileiro !!!

Saudações Tricolores

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Vamos de novo, "Copero"!



O campeonato segue em aberto. A conquista do título, ainda que possível, afigura-se muito difícil, menos pela nossa obrigação de vencer o Galo do que pela esperança de que o Goiás faça o crime em cima do São Paulo.

No entanto, já temos o que comemorar. O velho Grêmio está de volta ao seu habitat natural. Como bem veiculado na campanha da Copa de 2007: Libertadores é a nossa cara!

A velha e boa Copa! Do jogo guerreado. Das disputas de bastidores. Das hotilidades dos países hermanos. A Copa que, apesar de já não se mais aquela dos anos 80, segue sendo a mais cobiçada do Continente. A Copa de Simón Bolívar e de San Martin. Enfim, a Copa que se conquista com sangue na testa, com muita raça e com algum futebol.

A grandeza do Grêmio exige não apenas a participação na Libertadores, mas a possibilidade concreta de conquista do título. Por isso, o planejamento será primordial. Não podemos errar. Temos que contratar as peças certas, que possuam qualidade e espírito de Libertadores. Necessitamos urgentemente de dois bons atacantes, um armador de qualidade e, no mínimo, um lateral esquerdo. Não precisa ser jogador famoso e caro. Basta que tenha qualidade e espírito copero. E volto a frisar: Victor e Réver são sinônimos de qualidade e preço baixo. Ah, e não se olvide: um técnico vencedor!

Com planejamento, uma equipe de qualidade e o alento do nosso povo, temos tudo para fazer uma Libertadores digna das nossas tradições.

O Olímpico novamente pulsará ao toque do tumbo e ao clima que somente a Libertadores propicia!

Por isso, é de limpar o uniforme, encilhar o cavalo, afiar a espada e sair América afora, rumo a nossa terceira conquista!

Dá-lhe Grêmio "copero" e peleador!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Treinador!

Partindo-se da premissa que a enorme rejeição do Sr. Roth não permitirá sua permanência no Olímpico, pergunta-se: quem você acha que deve ser o novo técnico?
Que perfil deve ter? Vale a pena apostar em um novato promissor ou será melhor contratar uma treinador consagrado? É melhor dar preferência a um motivador ou a alguém que conheça a parte tática do futebol?
É hora de especular!
Minha sugestão: Leandro Machado
Sei que serei escurraçado, pelo fato do cara ter se criado no outro lado. No entanto, penso que se eles não sabem aproveitar seus treinadores - vide o Mano Menezes -, cabe a nós dar chance aos talentosos.
Agurado novas sugestões!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Crônica de uma morte anuncida ou 10 motivos pelos quais o Grêmio não vai sair campeão

Faz tempo que eu não posto aqui no blog, mas hoje preciso desabafar. Sei que alguns podem achar oportunismo postar após uma derrota como a de ontem, mas não me importo.
Ontem fomos da euforia durante o intervalo dos jogos para a mais profunda decepção no final do jogo, e eu me sintia incapaz de absorver o que aconteceu. Hoje começo a tentar racionalizar os fatos.
Depois do segundo gol do Vitória eu senti raiva, indignação com um time que parecia estar jogando uma pelada de fim de semana e não uma decisão. Depois do quarto gol, até a raiva passou, ficou somente um sentimento de profundo desencanto, de frustação e de irritação comigo mesmo por ter me iludido por tanto tempo. Porque a verdade é esta: somente por sermos tão apaixonadamente gremistas é que a gente podia acreditar que esse time ia ser campeão, que o manto tricolor ia ganhar o campeonato sozinho. Lembrei muito daquele post do LF onde ele fala da qualidade dos jogadores.
Os deuses do futebol tem um sentido irônico e gostam de uma tragédia, mas algumas regras eles quase sempre respeitam, e normalmente eles são vingativos com quem os desafia, e vamos combinar, o Grêmio vinha desafiando eles faz tempo.
Hoje tentei montar uma lista com os 10 motivos pelo qual o Grêmio não vai ser campeão. Confesso que achei que ia ser mais difícil, no fim o difícil foi ficar limitado a apenas 10 motivos.
Segue a minha lista:

  • Time com o Roth de técnico não pode ser campeão
  • Time sem um artilheiro nunca vai ser campeão
  • Time com o Amaral dentro do campo não pode ser campeão
  • Time que só faz gol se for contra do adversário nunca vai ser campeão
  • Time que não tem um lateral que preste nunca vai ser campeão
  • Time com o Marcel e o André Luís no ataque não pode ser campeão
  • Time com o Tcheco de capitão nunca vai ser campeão
  • Time que prefere usar pernas de pau com "experiência" em vez da gurizada que está voando nunca vai ser campeão
  • Time que não tem indignação nunca vai ser campeão
  • Time com o Roth de técnico não vai nunca ser campeão

Espero que ao menos a vaga na Libertadores seja assegurada e que esta direção tenha um mínimo de vergonha na cara para demitir o Roth e resolver alguns dos problemas citados acima.

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Como identificar um desesperado.

Muitos esperam uma postagem sobre a Geral, seja para falar do novo filme ("Meu ùnico Amor") ou para falar das absurdas brigas que sucederam a vitória de domingo. Mas esqueçam! Não vou dar guarida para que pessoas com sérios transtornos de caráter ganhem espaço neste blog (por menor que seja o número de leitores que nos acompanham!). Eu sei que não é toda a Geral que age deste modo e que, na verdade, trata-se apenas de uma minoria. Mas esta minoria - sempre barulhenta! -busca, de forma inexplicável, atingir a fama por meio de condutas deprovidas de qualquer racionalidade. Por isso, não farei o que eles mais desejam: tornarem-se o foco das discussões, aparecendo na mídia e ganhando "status" de pop star.

Vamos falar do Grêmio. Do velho Grêmio que novamente desafia a lógica e, sem qualquer explicação razoável, teima em disputar o título com uma equipe que gasta três vezes mais em folha de pagamento. Do velho Grêmio que começa a causar desespero em muitos de seus adversários.

E como é fácil identificar um deseperado!

Façam o teste.

Cheguem em um ambiente onde sempre se fala de futebol (o local de trabalho, por exemplo). Não fale nada sobre o campeonato brasileiro. Comente sobre a eleição do Obama, sobre o déficit zero da governadora Yeda e do Secretário-sigla da Fazenda A.O.D. ou sobre as incontáveis gafes do companheiro/corintiano/tô voltando Lula. Não tardará muito para que alguém, ferido no seu orgulho, comente sobre a sorte deste medíocre time do Grêmio. Deste time que só dá balão e ainda consegue ganhar com dois gols contra. Desta equipe que somente tem sorte, pois futebol é algo que só se encontra no outro lado da cidade.

Pronto! Eis um deseperado. Ele não consegue argumentar, nem sequer desenvolver um raciocínio. Mas não o contrarie! Pode fazer mal a sua saúde e/ou integidade física. Finja que o que importa é jogar outros torneios periféricos e que o assunto mais contundente no meio esportivo é a crise instaurada entre a PIFA e a gloriosa Confenderação Peruana de Futebol (ah, se essa crise fosse na Venenzuela...era tudo que o Chavez queria!!!). Concorde com tudo, inclusive com a isnpirada declaração de que o campeonato brasileiro deste ano é anômalo e que o nível do futebol está muito baixo. Lamente, juntamente com ele, o fato de que o futebol virou só força e de que o calcanhar e a janelinha cederam espaço para o carrinho e jogo "feio" (além de bobo e chato). Reafirme ser inadmissível que o Grêmio esteja entre os primeiros, afinal não há um jogador que preste neste time. De igual forma, concorde que outros times somente não estão em primeiro por causa do técnico, afinal as direções destes clubes são um espetáculo e os jogadores são todos de seleção (e realmente são! Principalmente do ponto de vista salarial).

Enfim, concorde, concorde e concorde mais ainda. No entanto, fique atento, pois seres desta espécie ficam ainda mais desesperados quando suas opiniões são aceitas passivamente. Beiram à loucura quando não conseguem descambar o assunto para discussões de alto nível, tais como: qual time é mais querido? Qual a camisa mais bonita? Quem é o mais bonzinho? Confesso que tais assuntos me causam inveja, pois, em face de um trauma, não consigo mais manter este nível de discussão desde que terminei o jardim de infância.

Portanto aporveitem o momento. Não sei se seremos campeões. É possível (peço calma aos deseperados que, por um ato impensado, tenham acessado o blog e lido esta frase)! No entanto, independente do título, divirtam-se com o desepero que reina acima do Rio Pelotas (acho que é só por lá que andam assustados!).

E por fim, um recado à paulicéia desvairada: comam muitas esfirras do seu patrocinador, pois não será fácil derrubar este potro xucro!

Dá-lhe Grêmio copero e peleador!

PS: boa sorte ao Valtinho e ao Kbecinha, que representarão os blogremistas no Barradão!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Do nosso jeito!



O Gremio reagiu. Com o grupo aparentemente fechado e jogando de acordo com a fórmula que deu bons resultados no primeiro turno, o tricolor fez ótima jornada na capital paulista.

Parece que os pedidos feitos aqui no blog foram atendidos, isto é, jogamos primeiramente pra neutralizar o adversário. A vitória foi conseqüência. Essa é nossa forma de jogar: muita concentração para anular o adversário e depois sair pro jogo.

Jogando desse jeito a vaga na libertadores estará bem encaminhada. Título?? Quem sabe, mas temos que confirmar nas próximas rodadas a retomada do padrão de jogo. Por isso, acho prudente conter a euforia e trabalhar muito.

Acho que fez bem o “cutucão” que alguns torcedores promoveram nos jogadores durante a semana. Não sei se tem a ver, mas já vi em Tcheco uma evolução. Quando ele joga o Grêmio cria conjunto. Talvez uma invasão semanal no treino possa fazer parte dos trabalhos.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Por uma (leve) mudança de cultura.


Ao que tudo indica, o título nacional esvaiu-se pelo ralo. Resta a briga por uma vaga na Libertadores. Culpados? Muitos! Ou melhor: todos! A direção por sua omissão em momentos decisivos e por seu desvio de foco quando do episódio da eleição. O treinador por sua teimosia e por suas invenções (sempre fora de hora). Os jogadores por sua falta de qualidade e, por vezes, falta de empenho e resignação. E, por fim, a torcida, que tantas vezes se preocupou mais em cantar que o Grêmio ia sai campeão do que apoiar o jogo todo, esquecendo-se de que a cobrança, após os noventa minutos, é algo salutar no futebol.

Oxalá os ventos da sorte soprem para o nosso lado, permitindo que o “Sr. Imponderável de Almeida” deixe a taça do Brasileiro no nosso Memorial. Seria mais uma conquista improvável e inacreditável, ante a qualidade do nosso plantel.

Nas últimas décadas, o Grêmio tem se destacado por times fortes, aplicados, marcadores, onde a raça e a superação são tão ou mais valorizados que os gols. Em virtude destas características galgamos posições nos cenários nacional e internacional. Fomos denominados de “Rei dos mata-mata”. Adquirimos um respeito enorme de todo o Brasil, que sempre frisou a dificuldade de enfrentar o Grêmio em momentos decisivos. Enfim, tais características deram vida à imortalidade constante do nosso hino.

No entanto, a par de todas essas características – que já são patrimônio histórico e cultural do tricolor – nós contávamos com qualidade. E quando falo de qualidade, não me refiro ao toque bonito, ao drible desconcertante ou aqueles malabarismos que Robinhos e Trairinhas Gaúchos adoram fazer. Falo, isto sim, do passe qualificado, de uma matada de bola que, de pronto, já tire dois zagueiros da jogada, do chute a gol com precisão, do lançamento rápido, da velocidade dos atacantes, etc.

Todavia, nos últimos anos, percebe-se que a qualidade restou relegada ao segundo plano. Alguém lembra do nosso último exímio batedor de faltas? Ou então daquele jogador que, quando o coletivo estiver mal (vide a última partida contra o Figueirense), possa, num lampejo de genialidade, resolver o jogo em um dou dois lances? Sinceramente, eu não lembro!

Ao meu ver, criou-se, no imaginário do nosso povo, a idéia de que basta a imortalidade e a superação para atingirmos qualquer objetivo. Basta juntar onze pessoas e sobre elas derramar o manto tricolor, para que deste conglomerado saia um time capaz de vencer qualquer certame.

Esta idéia tem nos custado um preço demasiadamente caro. Somente o Grêmio, devido a esta dedicação e raça, consegue ir longe com time medíocres (a Libertadores de 2007 e o Brasileiro deste ano são exemplos típicos). No entanto, o “ir longe”, por si só, não basta. Precisamos vencer! A vitória é inerente à nossa história! E a volta das conquistas depende necessariamente do retorno do quesito qualidade técnica.

E não me venham com conversa de que qualidade só se consegue com muito dinheiro. O Vitor e o Réver são exemplos de que bons jogadores podem sair barato. É lógico que, para isso, faz-se necessário criatividade e , principalmente, um ótimo conhecimento sobre futebol e sobre os jogadores disponíveis no mercado nacional e internacional.

Portanto, fica a minha proposta, para que se reflita sobre esta (leve) mudança de cultura. Não precisamos abandonar o gosto pela raça e superação. Mas é imperioso que se exija uma maior qualidade técnica, sob pena de virarmos o time do “quase”. Certamente muitos se oporão a esta mudança, ao menos inicialmente. Mas o tempo confirmará que a técnica é tão essencial quanto o nosso espírito guerreiro.

domingo, 2 de novembro de 2008

Crônica de uma morte anunciada.


Começo essa postagem com a imagem que iniciamos o blog. É revoltante. Desde o dia 22 de setembro, após o empate com o Atlético-PR e véspera da tragédia do GREnal, que cobro uma atitude da direção gremista. E até hoje nada.

Todos sabemos que o time do Grêmio é limitado, mas está visível que falta comando. Não só de vestiário, que o Roth é uma bosta até os holofotes do Olímpico sabem, mas onde está a direção. Fiquei sabendo que na volta do fiasco do Mineirão, o André Krieger confessou a um blogremista que não acreditava no título. Não estou falando do Zanoni, dono de uma birosca na frente do Olímpico, mas do diretor de futebol. Eu posso achar isso, mas o dirigente tem que confiar até o final. Vcs acham que esse sentimento não contamina o vestiário? Que respaldo tem esses guris de merda que nunca ganharam nada nas categorias de base?

A verdade, cá entre nós, é que o Grêmio vem se apequenando. Ficamos comemorando a Batalha dos Aflitos, quando poderíamos ter retornado à primeira divisão sem matar metade da torcida do coração. Não agüento tomar um baile do Boca na Libertadores e escutar que pelo menos fomos até a final. Agora vou ter que escutar que conseguimos uma vaga na Libertadores (se isso acontecer) com um time que seria rebaixado, segundo as previsões do início do campeonato. Enchi o saco dessa história de que fomos longe demais dadas as nossas limitações técnicas, blábláblá...
CHEGA!!!! O Grêmio é maior do que isso. Depois da atuação de hoje, a torcida deveria quebrar a capela e arrombar a porta do vestiário. A Geral fica com esse discurso de apoio incondicional (com interesses políticos, diga-se de passagem) e estamos nessa merda. Tem que protestar. Não dizemos que gremista é indignado. Então, VAMOS NOS INDIGNAR!!!!

Perder é do jogo, não ter vontade é inadmissível.

Enfim, envio essa última postagem nesse ano e espero voltar no ano que vem, sem Roth, infelizmente com Krieger.

Votos de Feliz Natal e Ano Novo a todos os GREMISTAS leitores desse blog!!!!

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Em busca do futebol perdido!



Estava navegando nos sites esportivos e li a seguinte frase do Souza: “chegou a hora dos jogadores mais experientes assumirem a responsabilidade”.
No mesmo momento pensei no blog e decidi: Essa é a minha hora de escrever.

As circunstâncias são das mais complexas. Por um lado a crítica esportiva, principalmente do centro do país, praticamente descarta a participação do Grêmio na disputa do título. Pra eles, nossa queda só cessará depois da 38ª rodada. Por outro lado, vejo nosso povo recorrendo ao misticismo tricolor acreditando que toda essa dificuldade é uma artimanha do destino pra promover mais uma página épica da história do imortal, ou seja, aquela história de quanto mais difícil, melhor pro Grêmio. Nem tanto o céu nem tanto a terra. Não estamos fora da briga, entretanto não podemos achar que o manto gremista por si só é capaz de fazer o Peréa virar Jardel e Tcheco se transformar em Zidane.

Pra alimentarmos alguma esperança de título é imprescindível as 3 vitórias em casa. Sobre essa questão não há dúvida, entretanto isso ainda não garante nem mesmo nossa participação na libertadores 2009. Sei que não podemos descuidar dos jogos em casa, mas para ainda sonhar com o título vou considerar as 3 vitórias. O Problema está nos 3 jogos fora: palmeiras, vitória e Ipatinga. Não ganhamos um jogo sequer fora de casa no 2º turno. Não conseguimos repetir a fórmula exitosa que possibilitou 5 vitórias longe do olímpico na primeira metade do campeonato.

O momento não é para grandes mudanças nem pra novos testes. Na minha opinião, temos que nos aproximar ao máximo do jeito de jogávamos no primeiro turno. Naqueles jogos o time tinha a noção das limitações. Jogava o tempo todo concentrado, preocupado primeiramente em neutralizar o adversário.

O jogo que penso ser referência pra nossa empreitada nestes jogos que ocorrerão longe dos nossos domínios não é o 7 a 1 contra o figueirense, nem o 3 a 0 sobre o Goiás, tampouco o 4 a 0 sobre o atlético MG. Penso que a fórmula a ser buscada é a do 1 a 0 contra o Coritiba. Jogo como gostam os brasileiros não teve naquela ocasião. Tivemos uma ou duas chances. Uma delas foi o escanteio que resultou no gol de Marcel. O coritiba, por sua vez, teve uma chance no final. Foi uma aula de anti-jogo, uma beleza, só superada no 1 a 1 contra os morangos no primeiro jogo da sul americana.

Sugiro que essa postura seja adotada durante os 90 minutos contra o Palmeiras e nos 90 minutos do jogo contra o Vitória. No caso do Ipatinga essa tática deve ser utilizada até os 30 do primeiro tempo, depois temos que buscar o gol (sem se atirar, é claro). Jogar dessa forma aumentará a auto-estima do time, pois os jogadores farão o que sabem fazer de melhor, ou seja, destruir (e isso não é corneta). Esse negócio de querer jogar prejudica nossos jogadores. O Tcheco é um exemplo. Cada vez que é colocada nele a responsabilidade de ser o cérebro do time e de criar, ele desaparece. Suas boas participações são quando nos defendemos primeiro e depois buscamos o gol. Com esse estilo de jogo aparentemente retranqueiro, nos tornamos o ataque mais positivo. Esse é o nosso time e não podemos querer mudar de identidade agora.

O Grêmio começou a sucumbir quando quis jogar de igual pra igual contra os adversário (vide grenal e jogo contra cruzeiro). Antes desse jogo no Mineirão o que mais se ouvia era aquela ladainha: “não adianta o Grêmio ficar só se defendendo, tem que jogar”. Bobagem. Nos jogos fora temos que ir pra não deixar jogar. Jogo só no Olímpico e até fazermos o primeiro gol. Se o Grêmio for com o mesmo pensamento de tentar ganhar, como ocorreu contra inter, portuguesa e cruzeiro, vai perder as partidas fora de casa. Temos que buscar dois empates e os 3 pontos contra o Ipatinga. Esses resultados garantem vaga na libertadores e ainda podem nos dar o título.

O time do Grêmio agora está no divã. Precisa conhecimento de si para fazer aquilo que pode fazer.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

A pergunta que não quer calar.

O que o Celso Roth faz nos treinos fechados?

Ainda dá tempo...

sábado, 25 de outubro de 2008

Estrela de um campeão.

O texto abaixo foi escrito por nossa assídua leitora JÉSURA CHAVES. Tendo em vista a morosidade dos colaboradores, a contribuição de Jésura vem com muito conteúdo e em muito em boa hora. Os leitores do blogremistas agradecem.


Bem, como “não é possível às mulheres entender todas as nuances que envolvem um jogo de futebol”, vou me deter num aspecto em que, sem dúvida, damos de goleada: a intuição.

Inacreditavelmente, o Grêmio vem conseguindo se manter na liderança apesar do Roth e das péssimas atuações da equipe. Isso só pode ter uma explicação: a estrela de um time sem precedentes no futebol brasileiro. Temos uma equipe limitada tecnicamente que perdeu no segundo turno do campeonato o seu forte, o espírito de equipe, comandada por um técnico perdido cuja falta de estrela contrasta enormemente à história do clube, razões suficientes para que a imprensa do “eixo do mal” contabilize os dias para a nossa derrocada. Contrariando todas as expectativas, o Grêmio vem teimosamente se mantendo no topo da tabela, sinal de que a estrela de um campeão se sobrepõe à falta de brilho de seu treinador...

Sabemos que é justamente quando está desacreditado que o tricolor renasce das cinzas (acho que fênix seria um símbolo mais representativo do que os três mosqueteiros). Assim aconteceu quando retornamos à primeira divisão e conseguimos uma vaga na Libertadores 2007, ano em que surpreendemos mais uma vez ao chegarmos à final com nosso co-irmão argentino; este ano, tivemos um primeiro turno sensacional depois da humilhação do Gauchão e da Copa do Brasil. Esta é a nossa história: superação o tempo todo (superamos até a incompetência de Celso Roth). E é isso que torna o Grêmio o time mais apaixonante e, ao mesmo tempo, mais odiado do Brasil.

O campeonato está a nossa cara, a sorte – imprescindível aos grandes campeões – está ao nosso lado, já que, como revelou o jogo contra o Sport, tivemos mais sorte que juízo. Ganhar campeonato com dez rodadas de antecedência é coisa pra times burocráticos como o São Paulo. Pra ser torcedor do Grêmio, é preciso antes de tudo ter um coração valente. E é este time que nos conduz do céu ao inferno – para nos conduzir novamente ao céu com um gostinho só conhecido pelos tricolores imortais - que vai sair campeão, diz a intuição feminina.

Em tempo: derrotas do Palmeiras e do Cruzeiro... a sorte está ao nosso lado mesmo!

domingo, 19 de outubro de 2008

A derrota para a teimosia.


Me desculpem a comparação esdrúxula, mas o Grêmio se comporta como um gordo de dieta, quando emagrece 3 quilos, vai a um espeto corrido para comemorar.

Com os resultados paralelos, poderíamos ter aberto 4 pontos de vantagem o que daria mais tranqüilidade na busca pelo título. Só para variar, entregamos mais um jogo. Não me venham com desculpas de interferência das eleições, STJD, gramado ruim, etc. Tá chato de repetir isso, mas faltou mobilização de novo.

Falta o Sr. de orelhas compridas da foto DECRUZAR OS BRAÇOS!!!!

Não há variação de jogo. Os jogadores pegam a bola e lançam na área de onde estiverem para a "jabuticaba do bolo" resolver. O treinador somente muda o time aos 25 minutos do segundo tempo, não importa se Soares tenha ido a São Paulo a passeio ou se o meio-campo esteja perdido. O time apanhando da bola, enquanto que o Perea, Reinaldo e Souza assistiam ao jogo do banco. O Orteman faz mais uma partida patética e o Makelele não é nem relacionado (concordo contigo Caio, um dos nossos poucos leitores).

Pior que perder é escutar o discurso: "Ainda somos líderes." ou "Tomamos gol em bola parada.". Estou cansado. O Grêmio é maior do que isso. Não estou vendo pegada. Tem que morder, comer grama e, se perder, sair quebrando tudo.

Roth, tem que mexer no time urgentemente, seja na escalação ou seja na motivação.... Sei lá, te vira tchê!!! Mesmo que tu não entendas nada de futebol, tu estás aí para isso.

A tabela está complicada e as perspectivas não são boas pelo futebol que a equipe vem apresentando. Mas vamos lá, resignação é uma palavra que não se pronuncia na Azenha.

Tá difícil, mas O GRÊMIO VAI SAIR CAMPEÃO.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

A bandidagem do STJD


Basta pesquisar na Internet (Viva a Internet!) e juntar o quebra-cabeças.

Matéria do Bem Paraná, de 04/06/2007:

"Onaireves Moura, presidente licenciado da Federação Paranaense de Futebol (FPF), voltou a atacar. Ontem, em Curitiba, protocolou na Polícia Federal denúncias contra o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Mario Celso Petraglia. Em seguida, foi ao Rio de Janeiro, e entregou ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) dossiê contra o procurador-geral do STJD, o paranaense Paulo Schmitt.

Petraglia é acusado por Moura de sonegação de impostos e desvio de dinheiro do Atlético para enriquecer sua família. Schmitt foi alvo de ataques mais pesados. “Ele tem que ir pra cadeia”, declarou. Segundo Moura, o procurador tem favorecido determinados clubes no STJD em troca de dinheiro. “É uma quadrilha”, afirmou ele, dizendo que dois auditores do Tribunal fazem parte do suposto esquema — Alexandre Quadros e Renata Quadros.
"

A respeito da armação do STJD, o Paulo Odone disse:

"Essa é a mesma turma do tribunal que utiliza decisões descabidas, uma evidência que se dirigem contra o Grêmio. Tem uma auditora do Paraná que já vota contra o Grêmio antes mesmo de ver os lances."

O Paulo Odone se referia a Renata Quadros. Conforme o relato de Onaireves Moura, ela é casada com o auditor, Alexandre, membros da tal quadrilha do Paraná, juntamente com Paulo Schimitt.

Para relembrar, foi essa Renata Quadros quem perseguiu o Grêmio no final do campeonato brasileiro de 2007 e desmontou o time para não conseguir a vaga na Libertadores. Ela denunciou o Gavilán, o Tcheco, Eduardo Costa e o Pelaipe... só faltou interditar o Olímpico. Como é de praxe, a auditora deu a declaração abaixo após o julgamento do jogador Gavilán (que pegou 120 dias de gancho) em processo no qual foi relatora:

Tem me chamado a atenção a conduta dos atletas do Grêmio pela violência. Sou paranaense. Antes que falem que eu sou atleticana, não sou. Sou corintiana, e tenho achado um absurdo.

Me surpreende a imparcialidade da auditora.

Para quem não lembra de Onaireves Moura, relato alguns dos seus feitos: em 1993, teve seu mandato de deputado federal Moura cassado por compra de deputados; em 1998, foi destituído da presidência da Federação Paranaense de Futebol; em 2000, Moura foi preso pelo crime de sonegação fiscal; em 2005, foi acusado pelo árbitro José Francisco de Oliveira, o Cidão, de participar de um esquema de corrupção na arbitragem do futebol paranaense; em 2006, novamente preso pela Polícia Federal sob a acusação de sonegação de tributos federais, falsidade ideológica e formação de quadrilha; em junho de 2007, suspenpo por seis anos pelo STJD, acusado de desviar recursos da FPF...

Vejam que as acusações não são de gremistas paranóicos, mas de um especialista no assunto. Que currículo tem este senhor!!!

Desculpem tocar no assunto novamente. Não consigo conter minha indignação e tenho que desabafar. Espero escrever somente sobre futebol a partir de agora... pelo menos nesse ano.

Não vamos nos mixar, ganharemos esse título na marra. Tá do jeito que o Grêmio gosta.

O GRÊMIO VAI SAIR CAMPEÃO !!!!

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

PROCURADO


O sujeito ao lado é o safado que quer rapinar o tricampeonato do Grêmio. A foto desse sem-vergonha deveria ser distribuída na porta do Olímpico, com os seguintes dizeres: PROCURA-SE, QUEM ENTREGAR A SUA CABEÇA RECEBERÁ O PASSE DO DOUGLAS COSTA COMO RECOMPENSA.

Caros gremistas, acabou essa história de que somos paranóicos, a armação agora é escancarada. A punição do Léo já era esperada, mas a do Réver? O cara é bolinado, rechaça com um empurrão e é punido com 3 jogos. Enquanto isso, o Diego Souza e o Cléber (o Rei das Cotoveladas) ficam impunes. Parafraseando o Fábio Koff: "LARGUEI PEDRO, TEM ESQUEMA".

Para mim, o Grêmio só disputa o campeonato brasileiro por causa da Libertadores. Eu nunca quis ganhar esse campeonato de donas-de-casa. Agora com essa presepada é questão de honra sair campeão. Se ganharmos essa bosta de torneio, não era nem de buscar o troféu. Devemos enviá-lo por malote para o STJD.

Com a ausência do Réver por 3 partidas, seria prudente o Roth mudar o esquema de jogo, pois Thiego e Jean na mesma zaga é perigo constante. Tirando um deles, o risco é minimizado. Escuta o STJD, Roth! Vamos adotar um 4-4-2. Coloca o Tcheco (Souza contra a Portuguesa) com Douglas Costa, que tá resolvido. Na frente, temos muitas opções, o Chengue não estava fazendo tanta diferença assim.

Direção gremista! Peloamordedeus, esqueçam as eleições e aproveitem essa oportunidade para motivar o time.

O GRÊMIO VAI SAIR CAMPEÃO !!!!

domingo, 12 de outubro de 2008

Nada de futebol

O ser humano é realmente engraçado. No fundo, no fundo, todos somos um pouco mulher de brigadiano.
Este blog surgiu num momento em que o Grêmio passava por profunda crise. O tricolor estava alijado da diputa do Gauchão e da Copa do Grêmio, tendo sido eliminado das duas competições dentro de casa. O grupo de jogadores era considerado abaixo da crítica e o treinador sequer consideração merecia.
Sedentos por mudanças, este grupo de amigos resolveu criar o presente blog, com o objetivo de debater o Grêmio e, de alguma forma, combater a ansiedade (sejamos sinceros: desespero!) que tomava conta de todos os gremistas.
As primeiras manifestações foram postadas com regular freqüência. Os comentários não tardavam a pipocar.
Então veio o primeiro jogo do Brasileirão. Vitória contra o "poderoso" São Paulo, em pleno Morumbi. Felicidade e crença total de que aquela jornada fora algo eventual e extraordinário. O time foi ganhando corpo e jogos. Foi galgando posições na tabela, até chegar ao topo. Ferindo a lógica, os "posts" foram ficando mais esparsos e os comentários mais raros.
Final do primeiro turno. Goleada no galo mineiro. Liderança absoluta em todos os critérios. Blog pouco efervescente, se limitando a, ponderadamente, considerar o Roth um técnico de futebol (medíocre, mas técnico de futebol).
Veio o segundo turno. Queda no rendimento. Empates com gosto de derrotas. Derrotas com jeito de desastres. Blog um pouco mais atuante, mas com certa restrição, afinal: a liderança estava sendo mantida.
E então, o GRE-nal. A casa caiu! Perdemos o jogo, a liderança e, de certa forma, as esperanças. O blogremistasFBPA, ciente da dificuldade do momento, voltou com plena força. Um breve e sensato post do professor Amarante. Diversos comentários, incusive de torcedores adversários.
Logo a seguir, vitória contra o Botafogo e um post de primeira linha, escrito pelo Kbecinha. Apenas dois comentários. Na útltima rodada, vitória contra o Santos e recuperação da liderança! Quantas postagens? Nenhuma, obviamente!
Longe de mim tentar entender a lógica. Minha formação é na área de humanas. Mas espero que nestes próximos dois meses, eu só veja postagens sobre a semana de moda em SP, a crise americana ou o caso DETRAN.
Que eu não seja obrigado a escrever ou a ler, neste blog, qualquer coisa sobre as atuações do Douglas Costa, as modificações do Celso Roth, o STJD e suas perseguições, ou a respeito da melhor forma de recuperar a liderança.
Após isto, nada obsta que voltemos a debater futebol!
Em momentos decisivos, toda crença ou superstição se tranformam em grandes alidados!




sábado, 4 de outubro de 2008

Surge mais um craque tricolor.


O jogo foi complicado. O time estava esfacelado moralmente e na escalação. Para piorar saímos atrás no placar, de novo falha na bola aérea e do Vitor (na minha modesta opinião era defensável). Não deu nem tempo para se abater, o estreante e promessa de craque, Douglas Costa empatou o jogo, após receber bola escorada del "Chengue". Antes do intervalo, Léo cometeu uma infantilidade indigna de capitão gremista, meteu um soco e um pontapé na cara do "acha que joga muito" Jorge Henrique. Tchê, quem não teria vontade de bater naquele nanico, mas não pode escancarar. O capitão não pode desestabilizar o time num momento delicado desse. Os procuradores cariocas do STJD devem estar se coçando e vem gancho bonito por aí.

A virada veio no segundo tempo, gol de cabeça de Réver num escanteio. Não poderia ser diferente, dada a falta de criatividade do time. No resto do jogo, administramos o resultado e não corremos grandes riscos. Valeu pela vitória, superação e manutenção da liderança compartilhada (eu não esperava nada do Atlético-MG).

Sobre as atuações individuais. Felipe Mattioni acrescentou qualidade ao time, fez várias jogadas de ultrapassagem interessantes e sofreu um pênalti escandaloso (quase foi decapitado) que o só o Cabeça de Porongo Roberto Lopes não viu. Esperava mais da "Jabuticaba do bolo" Morales, tem tamanho e vontade, mas perdeu um gol imperdível (até ele perder) e não fez mais do que o Marcel, lamentavelmente. Soares correu e reclamou muito. Thiego é assustadoramente inseguro e conseguiu cobrar 2 laterias seguidas para fora. Réver um gigante, jogou muito.

Parágrafo novo só para falar de Douglas Costa, baita jogador. Roth botou ele na fogueira e ele entrou com personalidade, fazendo gol e dando várias assistências para os companheiros. Mérito do treinador ou falta de opção? Deve ser mantido no time. Me lembrou a estréia de outra promessa tricolor, Tinga "Davi Canabarro", o segundo maior traidor do futebol gaúcho.

Breves comentários sobre os assuntos da semana:

- A direção gremista resolveu aparecer e cobrar o treinador. Finalmente se mexeram. Eu implorava por isso desde a derrota para o Goiás. Não sei se a decisão de concentrar o time por uma semana é eficaz. Já dizia o poeta infame: "O time do Presídio Central seria campeão brasileiro.".

- Implicações dos entreveros do GREnal: o Superior Tribunal de INJUSTIÇA Desportiva, está de sacanagem. Agora jogador não pode mais brigar em campo e a torcida não pode mais se revoltar nas arquibancadas. Os símios colocam a nossa torcida num curral, embaixo da torcida deles e a imprensa vermelha faz campanha de que nós somos violentos. Que há marginais infiltrados na torcida, ninguém discute, o problema é quando se atribui esse comportamento a só uma torcida. Acho constrangedor assistir GREnal com apenas 2.500 visitantes. Como os tempos são outros... Me pergunto: Por que fazer GREnal com espaço ridículo para a torcida visitante? Só para dizer que há duas torcidas? Vamos acabar com essa palhaçada. Se a polícia não tem condições de conter a violência, que se faça GREnal só para a torcida local.

- Eleições Grêmio 2008: as chapas são de apavorar. Continuísmo total. De uma lado, Duda Kroeff entende de futebol como eu de astronomia, já demonstrou toda sua (in)competência como vice de futebol. De outro, Vicente Martins, Homero Bellini Jr. e a turma do Guerreiro. Que baita laje !!!! Pensei que eles estivessem presos. Se ganharem, vão deixar o Douglas Costa sair de graça do Grêmio, como fizeram com o Ronaldinho "Bento Manoel", o maior traidor.

Obs: Sou contra a flauta, mas como fui provocado ao longo da semana... Tem gente que gosta tanto de chocolate (e banana) que hoje acabou se lambuzando.

Enfim, vamos focar no Grêmio ... quarta-feira tem outra batalha.

VAMÔ VAMÔ TRICOLOR !!!!!

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Retomada

Após uma semana de cabeça inchada, de muita flauta, reflexão e concentração, é hora de voltarmos a vencer!

O adversário é difícil. A equipe está desfalcada. A banda não terá seus intrumentos musicais e nem as tradicionais barras. Os jogadores estão sob supeita. A gordura já foi queimada. O técnico já perdeu o pouco crédito adquirido com a conquista do primeiro turno. O estado anímico não é favorável. Até a liderança já se foi!

Mas eu acredito em ti, Grêmio! Sei que é nestes momentos que tua alma charrua fala mais alto. É na adversidade que demonstras o teu valor. É na dificuldade que mostras a razão que te faz ser diferente dos demais.

Teus fiéis seguidores não te abandonam nunca. Estamos ao teu lado, na boa e na ruim!

O título está em aberto. Nada está perdido. Se a conquista ficou mais difícil, melhor! As coisas nunca foram fáceis para nós.

Pedimos apenas uma coisa: a volta do nosso estilo! Da marcação forte! Da crença de que não existe bola perdida! Enfim, a retomada da pegada que nos é peculiar!

Não podemos admitir uma atuação como a do GRE-nal, onde nossa equipe jogou aberta, faceira e sem se comprometer com a marcação. Este não é nosso histórico! Nós não sabemos fazer isso!

Por favor! Se jogaste como carioca contra o time "gaúcho", que volte a ser gaúcho contra o adversário carioca.

A retomada começa hoje!!!

Dá-lhe Grêmio "copero"!

domingo, 28 de setembro de 2008

É hora da direção entrar em campo.



Perder é uma das possibilidades previstas no futebol. Num campeonato de pontos corridos, uma derrota é administrável. Claro que perder um clássico torna uma derrota mais impalatável, mas não podemos perder o equilíbrio e o bom senso. Tem que lamber as feridadas voltar a concentrar e fazer de tudo para manter o Grêmio na frente, afinal temos o mesmo número de pontos do líder, perdendo apenas nos critérios de desempate. Ou seja, o momento requer tranqüilidade, serenidade e convicção. Não podemos fazer terra arrasada.

Com esse pressuposto de serenidade só quero dizer uma coisa: É HORA DE ESCORRAÇAR O CELSO ROTH DO GRÊMIO. O time poderia estar 20 pontos na frente, mas é inadmissível manter um técnico depois do que aconteceu. Não dá mais pra manter um técnico que é fadado ao fracasso, que não tem estrela, que é o emblema da teimosia, que mantém o Marcel no time e não oportuniza espaços de crescimento a jogadores como Souza e Morales, que não consegue manter resultados positivos por mais de três meses, que não busca alternativas à previsibilidade do time, que não altera as alas que todo mundo percebe estarem precárias, que não faz os jogadores jogarem mais do que jogam, que tem um discurso no qual vigora o lugar comum, que ignora tudo o que a opinião pública e a torcida manifestam, que tem uma postura de não envolvimento com a história e a grandeza do Grêmio, que não tem o carisma dos grandes vencedores e que sucumbe nos momentos decisivos.

Se o Grêmio for campeão, o que desejo com todas as minhas forças, ainda manterei minha crítica ao Sr. Roth, pois não precisávamos passar por isso. Criticarei ainda mais à direção por sua postura irritantemente conservadora. No momento, precisamos criar um fato novo. Temos dez rodadas e só não somos líderes nos critérios. Há chance de trazer alguém com um discurso diferente, que deposite toda sua energia e competência para manter o Grêmio na frente. Gente nova no comando também altera o comportamento dos jogadores que certamente farão mais. O argumento de que não há técnico no mercado, não pode ser usado para manter a mesmice e a tendência de derrocada.

É hora de ousar. Nossa direção não pode continuar no conservadorismo que espera o pior acontecer para agir. Tem que ir para o tudo ou nada. Mandar o Roth embora agora não é loucura, pois seu trabalho no 2º turno é comparável aos times que ocupam a zona do rebaixamento. Além disso temos que lembrar que o Wagner Mancini foi mandado embora depois de uma vitória. Por que não mandar o Roth depois de um resultado trágico? Podemos perder o título, mas não por omissão. Do jeito que as coisas vão, estamos pondo em risco a libertadores 2009. O momento é de decisão e a direção do Grêmio é quem tem o bônus e o ônus de tomá-la.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

O sentimento não se termina...

Como gremistas temos sempre que acreditar e apoiar incondicionalmente o time. Por outro lado, tenho que ser realista e expressar nesse blog o meu sentimento de frustração. A taça está escorregando de nossas mãos e não vejo ninguém se mexer.
Após a derrota em casa para o Goiás, não me interessava escutar que o Goiás tinha a melhor campanha, blá blá blá, era o Goiás no Olímpico, ou seja, vencer era obrigação.

Pensei que a diretoria iria se mobilizar para buscar a compensação em dois jogos difíceis fora de casa. Ainda mais que o adversário direto jogaria com 2 babas (Vasco e Náutico). A direção tricolor de fato se mobilizou, porém em busca de um candidato único para as eleições no final do ano. Os interesses escusos da Arena pesaram.

Outro fato insignificante, mas que demonstra a falta de atenção dos dirigentes, foi a suspensão de André Luís por 2 partidas num lance em que nem falta foi marcada. Sabemos que o STJD não respeita o direito da ampla defesa e pune arbitrariamente, mas temos que estar vigilantes. Os únicos representantes do Grêmio que se manifestaram foram o Celso Roth e o capitão Tcheco, os quais não tem competência para tratar do caso. Onde estavam os dirigentes? Quem estava na beira do gramado quando a barata tonta do Roth treinou 3 meios de campo? Provavelmente, tomando uma Coca-Cola com o Vontobel.

Não me interessa se o Grêmio voltou a jogar bem contra o Paranaense, tampouco não quero saber se foi pênalti no Soares. Não vencemos novamente. Agora que a diferença para o vice caiu de 6 para 1 ponto, leio que "vamos exigir árbitro gaúcho no Grenal" ou "a arbitragem do Sr. Alício Pena Jr. não agüentou a pressão de RJ e SP". A Inês está quase morta e eles aparecem na UTI. Todo mundo sabe que não é interessante para a imprensa do centro do país ver o Grêmio no topo da tabela. Ninguém é trouxa para acreditar no discurso jornalístico de que "o campeonato perde a graça", justamente os mesmos que achavam engraçado ver o São Paulo disparar.

Enfim, começou a semana Grenal e eu quero ver mobilização total.

VAMÔ VAMÔ TRICOLOR...

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Parabéns, velho e bom Grêmio!



Velho Grêmio! Sempre “copero” e peleador! Grêmio das batalhas e das jornadas épicas! Grêmio que cativa e comove! Grêmio que faz chorar! Grêmio da alma gaúcha, charrua, castelhana! Grêmio do carrinho no barro, do gol de canela e do golaço! Grêmio da bola área e dos zagueiros caudilhos! Grêmio de alguma técnica, mas de muita raça e vontade! Grêmio do regulamento embaixo de braço, da valentia e da coragem!


Velho Grêmio da Baixada! Grêmio do Olímpico! Grêmio de Portaluppi, de Tarcíso e de Jardel! Grêmio de Iura, de Airton Pavilhão e De Léon! Grêmio de Lara, Mazaroppi e Danrlei! Grêmio de Felipão e mestre Froner! Grêmio de inúmeros e imortais ídolos.

Campeão da América e do Mundo. Grêmio que vence com 7 jogadores, que enfrenta a guerra de La Plata e que cala o Maracanã e o Morumbi. Grêmio que foi o primeiro time de fora do país a vencer na Bombonera! Grêmio de infinitas glórias!


Grêmio, sempre Grêmio! Grêmio da torcida que sempre alenta, na boa ou na ruim. Grêmio dos trapos que tremulam incansáveis nas frias tardes de domingo. Grêmio gaúcho, apreciador do jogo pegado e da marcação viril.


Nesta data, em que completas 105 anos, é impossível te descrever ou te explicar. Não tens explicação! És puro sentimento, que emana do suor dos teus atletas e da paixão incondicional de teus fanáticos seguidores!


Hoje, pouco importa falar sobre o teu DNA gaúcho e sobre o teu espírito farrapo, que tanta ira causam na imprensa oficialista do centro do país, que não consegue te explicar com base apenas na análise tática. De nada adianta referir que és o filho rejeitado, por não seres igual aos demais, por não gostares das pedaladas inúteis e das firulas desnecessárias, por não te orgulhares dos grandes times, dos craques vistosos, mas sim dos títulos sofridos, dos heróis improváveis e da capacidade de sempre derrubar todas as lógicas e ressurgir das próprias cinzas.


Hoje, importa apenas te parabenizar e te agradecer!


Nestes 105 anos foste chama gaúcha, sempre pioneira e desbravadora, desafiando conceitos e mostrando a cultura do garrão da pátria.


Vida longa a ti, imortal tricolor!


Segue tua história de glórias e conquistas, sabedor de que se somos assim, não é por acaso.


PS: um agradecimento especial ao blogremista Jabba, que colaborou na elaboração final do post.

sábado, 13 de setembro de 2008

Reinaldo, Roth e as eleições

Hoje temos mais uma decisão! O adversário vem fazendo ótima campanha no segundo turno e, na maioria daz vezes, costuma complicar os jogos contra o Grêmio, seja no Serra Dourada ou no Monumental.

O Sr. Roth, talvez começando a entender que não tem vocação para professor Pardal, voltará a utilizar o esquema com dois atacantes de ofício, sendo um de velocidade e outro mais "plantado" na área.

Em virtude da lesão do Perea, Reinaldo ganha nova chance. Este jogador vinha entrando bem durante os jogos, marcando diversos gols e se constituindo em peça importante nas jogadas de contra ataque. Particularmente, acho que ele merece uma seqüência de jogos. É um atacante agudo e que tem faro de gol.

Tomara que aproveite esta oportunidade e crie um problema a mais para o Celso Roth escalar o time.

De outra banda, em meio as inúmeras preocupações que só tem quem é lider do campeonato, esta semana foi marcada por dois assuntos extra-campo: o indiciamento do Roth e o abertura do processo eleitoral do tricolor.

Quanto ao primeiro tema, a direção adotou a postura correta, tratando o caso como um problema particular do treinador. Não obstante as inúmeras e impublicáveis besteiras jurídicas veiculadas pela imprensa, acho que o episódio não abalará o grupo de jogadores, até mesmo porque tudo leva a crer que o Roth foi mais vítima que criminoso.

Já em relação à sucessão presidencial, as notícias não são muito animadoras. Após a trágica experiência vivenciada com o Obino, volta-se a falar em consenso para a eleição presidencial. Esta prática é fadada ao insucesso! O processo democrático fortalece a instituição e torna o clube mais transparente, permitindo o debate e o apontamento dos erros e acertos da gestão que se encerra.

É hora de fiscalizar e não permitir que meia dúzia de caciques - sem desmerecer o gremismo e a competência de ninguém - decidam o futuro do nosso clube. A participaçao do associado nas eleições foi conquistada "a duras penas", de modo que hoje não se pode excluir o sócio desta escolha fundamental. Não esqueçamos que ao próximo Presidente competirá administrar a questão atinente à Arena!




terça-feira, 9 de setembro de 2008

Parabéns, Portaluppi !!!!


Há 46 anos nascia em Guaporé o gênio que pintou a terra de azul.

Feliz Aniversário, Renato Portaluppi !!!

Receba o abraço de toda a nação tricolor.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Os números e o biquini.

Ainda sobre o jogo contra o fluminense, minha frustração não se deve tanto ao resultado, que não foi dos piores, mas ao fato de o Grêmio, legitímo representante do futebol pampeano, sucumbir novamente frente a um time carioca, sabidamente os maiores representantes do futebol gingado do Brasil. Sempre quero que o Grêmio vá ao Rio e proporcione outros maracanaços, o que nesta temporada não está acontecendo. Paciência. Não teremos mais jogos no rio neste campeonato

Analisando o resultado não podemos nos queixar. O Grêmio entrou na rodada com 5 pontos de diferença com um jogo fora de casa pra cumprir. Termina a rodada com um ponto a mais em relação ao segundo colocado. Apesar desse ser um dado positivo, me lembrei nesse momento do Roberto Campos que se referia a estatística como a arte de enganar com números ou, dizia ainda, que estatística é igual biquíni: mostra tudo menos o essencial.

Com isso quero dizer que temos que ter cuidado com os números. Analisando os 6 primeiros colocados depois da 24ª rodada, percebe-se que o Grêmio tem um dos piores aproveitamentos no 2º turno, embora tenha aumentado a distância. Dos 15 pontos disputados no 2º turno, ganhamos 8 (duas vitórias em casa, dois empates fora e uma derrota fora), enquanto isso o Botafogo conquistou 11 pontos, o Palmeiras e o Flamengo 9 pontos, São Paulo 8 pontos e cruzeiro 7 pontos. Mesmo que a diferença de pontos do final do 1º turno tenha aumentado de 5 para 6 pontos, acho que devemos estabelecer um outro enfoque para pensar o Grêmio nas próximas rodadas.

A apresentação contra o fluminense confirma o baixo desempenho. Nos últimos jogos não estamos jogando o suficiente pra repetir algumas boas jornadas do 1º turno. Nossos alas desapareceram. Eu sempre defendi o Paulo Sérgio, mas ultimamente tá difícil. Na esquerda Pico e Helder são tímidos na composição do meio e chegada no ataque é precária. Assim torna-se difícil nosso 3-5-2 atingir êxito fora de casa. A entrada de Souza no lugar de Peréa também não surtiu muito efeito, pois pareceu que esse jogador não encontrou seu lugar no campo.

Penso que poderíamos treinar essa semana Souza na lateral novamente, certamente fará mais do que Paulo Sérgio está fazendo; na frente Reinaldo (ou soares) e Marcel, e no meio a entrada de Orteman no lugar de William Magrão que está machucado. Isso pode pôr um pouco de combustível na busca de retomada do ritmo que nos colocou em 1º lugar. Para manter a liderança até o final, é preciso avaliar o futebol além do que a tabela apresenta e, assim, se antecipar às tendências que, ao meu ver, preocupam mais que os números.

domingo, 7 de setembro de 2008

O ponto ganho

O resultado foi bom (poderia ter sido ótimo!), mas a atuação não foi nada animadora. Ainda bem que, neste micro campeonato carioca, não temos mais jogos fora .

O time foi apático, sem ambição para buscar os três pontos, respeitando demasiadamente o Fluminense. Nossos alas novamente deixaram muito a desejar (te recupera logo Mattioni, que essa vaga na direita é tua; quanto à ala esquerda, só há uma solução: orar!). A idéia de colocar o Souza no lugar do Perea não surtiu o resultado desejado, deixando o nosso time pouco insinuante. O pobre Marcel lembrou "Robinson Crusoe", tentando desvendar solito os mistérios da área adversária. As entradas de Soares e Ortemann melhoraram um pouco a movientação do time, nada porém que renovasse as esperanças por uma vitória. Quanto ao André Luís: @%*!#....melhor nem falar, pois domingo é dia santo.

Afinal: onde anda o time que atropelou o Figueirense e o galo Mineiro e que venceu o São Paulo e o Coritiba fora de casa? Onde está aquela saída rápida para o contra ataque, com as chegadas surpreendentes dos volantes, deixando a defesa adversária mais perdida que cego em tiroteio? Não podemos ter desaprendido a jogar fora de casa! Esta é nossa marca neste campeonato!

Não te fresqueia Roth, pois a trégua é curta! É hora de chutar para o lado este injustificado receio e voltar a vencer os jogos acima do Rio Mampituba, do Rio Pelotas ou de qualquer outro córrego que nos separe do país do futebol arte, onde o Presidente fala de futebol, os selecionáveis falam do Presidente, e ambos andam muito mal. obrigado!

Para não dizer que não falei de flores (baita expressão para o desfile dos milicos no 7 de setembro!), tenho que saudar a segura atuação da nossa defesa, com ênfase especial à nossa muralha Victor, que, só para variar, teve outra grande atuação (ok! Vou parar de falar dele, pois fica enfadonho elogiar sempre a mesma pessoa!), evitando a derrota e permitido a conquista deste importante ponto, que nos distancia um pouco mais dos nossos perseguidores.

Agora é o Goiás, no próximo sábado. A vitória é essencial, especialmente porque os nossos adversários mais próximos jogarão entre si (ah, se sai um empatezinho no Mineirão!). Mas este jogo, apesar de mui perigoso, é no Monumental. E aqui, a coisa muda de figura!

Como diz o Cristian Bonatto, que escreve sobre o Grêmio no blog do torcedor da globo.com (vale a pena ler o cara): "Enquanto os cães ladram, a caravana passa!"

Sigamos a maratona! Vamos, Grêmio "copero"!

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Jamais nos matarão...


Leio nos jornais a seguinte matéria: "Grêmio está novamente na mira do STJD - Procuradoria irá analisar jogo contra o Vasco e pode denunciar jogadores por jogadas violentas."

Como gremistas, estamos acostumados à perseguição da imprensa e desses procuradores patéticos do STJD. Basta começarmos a incomodar os times do eixo RJ-SP, que começam a inventar artifícos para condicionar a arbitragem e tentar prejudicar o nosso time. E o que vamos fazer? Botar nariz de palhaço como alguns vizinhos e fazermos o papel de coitados. Porra nenhuma. Isso é mais um motivador. Gremista não age assim. Vamos para cima deles e ganhar o campeonato dos brasileiros, como já fizemos em outros tempos. Essa é a postura que nos diferencia dos demais e que nos faz sermos tão odiados.

Com tanta frescura, daqui a pouco vão transmitir os jogos do campeonato brasileiro no horário da Ana Maria Braga, pois só as donas de casa irão agüentar. Citando o filósofo: "Quem gosta de futebol é viado, eu gosto do Grêmio.".

terça-feira, 2 de setembro de 2008

A fase é boa: Ganhei na loteria !!!!


Galera:

Finalmente sou um dos novos ganhadores de Loterias da Caixa Econômica Federal !!!
Após 26 sorteios ininterruptos apostando no TRICOLOR, o nosso time foi sorteado.
Com isso, juntamente com mais 55.897 apostadores, ganhei a bagatela de R$ 2,00.
Confiram os resultados do sorteio do último final de semana:

Faixa de premiação / Nº de ganhadores / Valor do Prêmio (R$)
7 acertos / nenhum ganhador / R$ 0,00
6 acertos / 6 ganhadores / R$ 31.520,18
5 acertos / 281 ganhadores / 448,68
4 acertos / 5.274 ganhadores / R$ 6,00
3 acertos / 47.572 ganhadores / R$ 2,00

Time do coração / Nº de ganhadores / Valor do Prêmio (R$)
GRÊMIO-RS / 55.898 ganhadores (sendo um deles, eu) / R$ 2,00
Moral da História: Apostem no Grêmio pois este TIME só nos traz alegrias !!!
Saudações Tricolores

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Soares e a chave perdida

Existem coisas na vida que somente são valorizadas quando da sua falta. Ninguém presta muita atenção na importância da água ou da luz, salvo quando se passa um dia inteiro sem poder tomar um banho ou se utilizar dos aparelhos que funcionam com energia elétrica.

A mesma lógica vale para a chave reserva do carro. Aquela chave que a gente joga lá no fundo da gaveta e não dá a mínima importância a ela, até o dia em que, por acidente de percurso ou por notória ausência de organização do motorista, o carro fica trancado com a chave titular lá dentro.

Ontem, o imortal precisou de uma chave reserva, destas que ficam escondidas, lá no fundo do armário (ou do banco de reservas), em completo esquecimento.

O jogo estava encardido, o Vasco recuado, nossos alas em péssima jornada (fato que tem se repetido nos últimos jogos) e tudo parecia se encaminhar para um desastroso empate. Não obstante todo este quadro desolador, presenciamos a saída prematura do "El ciclon" Peréa, por
motivo de lesão. Quam entrou em seu lugar? Soares, a chave reserva da máquina tricolor, que abriu as portas para mais uma vitória do imortal.

Eu não estou entre os fâs deste jogador, mas é imperioso que se atribiua a ele boa parte do nosso sucesso no jogo deste domingo. Autor do primeiro gol e do passe para o segundo, Soares saiu do esquecimento para escrever mais uma vitória com a cara do Grêmio: sofrida, suada, na base da superação e contras todas as adversidades que nos são impostas.

Podemos não ter grandes nomes ou craques com salários astronômicos, mas temos um time que se apresenta sólido e maduro, além de chaves reservas que vem salvando a equipe na hora do aperto.

A ressaltar, ainda, a boa partida do Tcheco, que jogou fora da sua posição habitual, e o empenho comovente do Marcel, que supre a ausência de técnica com muita superação e imposição física.

Não podemos deixar de parabenizar a inigualável torcida tricolor, que novamente compareceu em bom número e não parou de alentar por nem um minuto (não é por acaso que tantos nos copiam!!!).

Por fim, em nome dos blogremistas, saudamos a chegada de "gremistaça" Letícia, filha dos tricolores Jabba e Clarissa. Nada como, no primeiro dia de vida, celebrar mais uma vitória do imortal tricolor e a liderança isolada do campeonato brasileiro.

Agora é encarar o Fluminense nos seus domínios, com a obrigação de manter a distância que nos separa do Palmeiras.

Vamos, vamos GRÊMIO "copero"!

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Souza joga!!!



A seqüência de rodadas na liderança fez do Grêmio um clube ainda mais visado. Reconhecendo que tricolor é um clube de chegada, os demais times começaram estudar a fórmula que fez do Grêmio líder do campeonato. Hoje, o 3-5-2 do Celso Roth não surpreende mais e é necessário ter alternativas táticas pra manter a liderança. No palmeiras já se fala que em cinco rodadas superarão o Grêmio. Isso deve estar baseado na crença de que o time tricolor esgotou suas possibilidades.
Os últimos resultados mostraram que temos que sair da mesmice se quisermos alcançar o título. Neste sentido, acho imperiosa a utilização de Souza. Sua entrada vai fazer do Grêmio um time mais criativo. Sua atuação no Grenal da sulamericana não deixou dúvidas de que ele é peça fundamental para o Grêmio ser menos previsível. Até a cabeça blindada do Celso Roth não resistiu às evidências. Nosso treinador já anunciou que Souza jogará contra o vasco. Demorou! Os adversários não terão como tarefa simplesmente anular Tcheco como vinham tentando fazer nos últimos jogos. Com Souza a atribuição de criação se divide, sendo em tese uma dificuldade a mais para os adversários. Dos últimos três insuficientes resultados (flamengo, náutico e eles) o que ficou de positivo foi a forma briosa com que o time atuou até os últimos minutos dos jogos. Isso mostra que a entrega e a união continuam, o que é fundamental para qualquer pretensão. A questão agora é tática e qualitativa. A cereja do bolo não vem. Parece que em vez disso vão trazer uma jabuticaba, o uruguaio Morales. Tenho dúvida se esse centroavante de referencia na área (1m e 96cm) é o que o Grêmio precisa. Sempre pensei que necessitávamos um atacante veloz, do estilo Carlos Eduardo ou Herrera.. Mesmo assim, vale a tentativa. Faltam 16 rodadas.

domingo, 24 de agosto de 2008

Precisamos URGENTEMENTE .....


.... da cereja do bolo !!!!

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Lição de 0 ponto.


A partida de ontem foi apenas uma amostra das dificuldades que serão impostas para a nossa equipe nesse returno. Na condição de líder do campeonato, o Grêmio é o time a ser batido. Os adversários estão estudando o nosso padrão de jogo e não vão fazer como no primeiro turno, se atirar para a frente e nos deixar fazer a festa nos contra-ataques. Apesar dos méritos do adversário, que soube anular a armação tricolor, foi uma noite infeliz do Grêmio e precisamos aprender com a derrota. Às vezes perder é bom, para dar um choque de realidade dos jogadores.

A lição mais importante que podemos tirar, não somos um time imbatível. Sei que nessa tribuna ninguém acreditava nisso, mas é prudente divulgar. O time parece não saber disso. Entrou no Maracanã jogando ao estilo do Flamengo, toquinhos pro lado e frouxidão na marcação. Tem que jogar com a seriedade de time ruim. Ao contrário dos outros jogos, não vi 3 jogadores cercando o adversário. Não podemos simplesmente sucumbir e aceitar a marcação. A porca véia do Anderson Pico foi fazer turismo no Rio de Janeiro, não passou da divisória do gramado. O Roth quase invadiu o gramado para empurrá-lo para o ataque e ele nada, continuou seu tour pelo Maraca. Esse tá precisando esquentar um banco com suas cadeiras roliças. Me indigna um time com 3 zagueiros, tomar gols de uns tais Max e Toró sozinhos dentro da área. PQP!!!!! O tal do Jean é esforçado, mas o rapaz é um tanto atabalhoado (é um bosta mesmo). Atenção direção, não dá para vender o Léo. É a nossa chance de ganhar esse campeonato de pontos corridos. Tá uma baba! A propósito, dá para trazer um atacante, pelo amor de Deus.

Um alento foi o comportamento do Celso Roth. Depois de ontem, quero ver alguém chamá-lo de retranqueiro. Esbravejou mandando o time para o ataque. Mexeu no time no intervalo e disse que o Souza na lateral era um desperdício (assim como era o Patrício). Por sinal, esse garantiu lugar no time, jogou pra caralho e mandou um tirambaço nas redes. Eu colocaria no lugar do Perea. Me parece que o Roth vai fazer exatamente isso. Ele deve estar lendo esse blog.

Para nosso alento, perdemos um jogo que poderíamos perder. Nossos concorrentes ao título também perderam longe de seus domínios. Entretanto, a diferença para o quarto lugar caiu para 8 pontos (G-4 é coisa de bichona). Quem é gremista sabe, se ganharmos o campeonato dos brasileiros, vai ser sofrido como sempre.

P.S: Ainda bem que só temos mais uma partida no Rio de Janeiro.

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Versão em español da Reportagem para facilitar a compreensão do Amarante

http://es.fifa.com/worldfootball/clubfootball/news/newsid=855352.html#el%2Bgremio%2Bcanta%2Bbajo%2Blluvia


El Gremio canta bajo la lluvia
(FIFA.com) Martes 19 de agosto de 2008

Antiguas luminarias del Gremio están esparciendo su luz por todo el mundo en los últimos días. Carlos Eduardo hizo una fantástica exhibición el sábado y ayudó al Hoffenheim a encaramarse a lo más alto de la Bundesliga alemana. Luiz Felipe Scolari deslumbró en su debut con el Chelsea un día después, y Anderson y Ronaldinho están cuajando un excelente Torneo Olímpico de Fútbol masculino.
Pero no parece que se le eche de menos en el Estadio Olímpico, porque su antiguo club ocupa la primera plaza del campeonato brasileño recién superado el ecuador de la campaña.
O Tricolor Gaúcho no estaba entre los favoritos de las apuestas al inicio de la temporada. Se decía que le faltaba experiencia al más alto nivel y el genio que hace falta para ganar partidos.
El Gremio, sin embargo, se ha transfigurado últimamente en un diestro corredor de obstáculos. Sólo un ingenuo habría predicho que, jugando en campo contrario en noviembre de 2005 y con una desventaja numérica de tres jugadores, lograría el único gol en los estertores del duelo decisivo contra el Náutico y protagonizaría el más espectacular de los ascensos a la primera división de Brasil. Luego, el equipo de Porto Alegre accedió a la Copa Libertadores 2007 como claro advenedizo y escaló muchas montañas hasta llegar a la final, donde sucumbió ante el Boca Juniors.
El Gremio ha mantenido este empuje a lo largo del presente ejercicio liguero. Acumulaba una ventaja de cinco puntos sobre su inmediato perseguidor antes de disputarse la vigésima jornada. Allí lo esperaba la horma de su zapato, el Sao Paulo, vigente campeón.
Los expertos estimaban que el gigante paulista frenaría el avance del Gremio y pincharía la burbuja de confianza formada durante los diez partidos seguidos que llevaba sin perder. Sin dejarse intimidar ni por estas teorías ni por la lluvia que caía a cántaros sobre el Olímpico, más de 40.000 incondicionales gremistas se congregaron para animar a sus ídolos el domingo.
El rugido de la grada se dejó oír antes del pitido inicial y continuó sin desmayo a lo largo de todo el encuentro; alcanzó su mayor intensidad cuando Edixon Perea marcó el único gol de la contienda en el minuto 9 y cuando el colegiado Alicio Pena Junior decretó el final del encuentro. Porque, así las cosas, ese triunfo permite al Gremio mantener los cinco puntos de ventaja sobre su rival más cercano, el Cruzeiro. "Fue una magnífica victoria", exclamó el entrenador Celso Roth en el epílogo. "El campo estaba empapado y era difícil jugar en esas condiciones, por eso se puede decir que hemos tenido una gran actuación".
Acaso ese éxito se deba en gran medida a la experiencia que está adquiriendo el Gremio en jugar al fútbol bajo los chaparrones de este invierno brasileño, como por ejemplo en los choques contra el Palmeiras y el Coritiba disputados las semanas anteriores. Lo que sin duda ayudó fue una llamada de teléfono: la que hizo el delantero colombiano del conjunto de Porto Alegre a su seleccionador nacional, Jorge Luis Pinto, para que le eximiera de jugar el inminente amistoso contra Ecuador. "El Gremio está en una gran forma y quiero estar aquí para ayudar al equipo a sumar puntos y permanecer en lo más alto de la tabla", explicó Perea. "Hablé con el seleccionador y, gracias a Dios, lo entendió".
El ex delantero del Burdeos, de 24 años, junto con Reinaldo y Marcel, ha sido uno de los principales contribuyentes hasta la fecha a la cuenta goleadora sin precedentes del Gremio en la competición: 36 tantos. Aún más impresionante resulta el registro defensivo del conjunto. Sólo ha concedido 12 goles en toda la temporada, y sólo 2, ambos de penal, en sus ocho últimos compromisos, gracias sobre todo a la heroicidad de Víctor y la tenaz defensa de Leo, Rever, Thiego y especialmente Pereira.
"No presto atención a los números, son sólo estadísticas", arguye Roth, que a punto estuvo de marcharse del Gremio en abril, cuando en una misma semana el club cayó eliminado en el Campeonato Gaúcho y en la Copa de Brasil. Afortunadamente para los seguidores, no lo hizo, y la confianza de la directiva en el técnico se mantuvo incólume cuando muchos le habían dado la espalda. El estratega de 50 años ha justificado plenamente esa fe.

La derrota del Sao Paulo fue el resultado de nuestro esfuerzo colectivo y nuestra humildad, y se la infligimos a uno de nuestros contendientes directos por el título
Celso Roth, entrenador del Gremio.
Roth no se duerme en los laureles, sin embargo. Está empeñado en mantener el rumbo fijo a un tercer título brasileño, una aventura que continuará el jueves con la batalla contra el Flamengo en el estadio Maracaná. "La derrota del Sao Paulo fue el resultado de nuestro esfuerzo colectivo y nuestra humildad, y se la infligimos a uno de nuestros contendientes directos por el título", señala. "Pero no podemos relajarnos, tenemos que seguir ganando".
Si el Gremio puede hacer eso, ni la más feroz de las tormentas sofocará el fervor de su hinchada.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Reportagem extraída do site da FIFA

http://www.fifa.com/worldfootball/clubfootball/news/newsid=854911.html#gremio+singing+rain

Gremio singing in the rain
(FIFA.com) Tuesday 19 August 2008

Gremio's former employers have been making waves across the globe recently. Carlos Eduardo turned in a wonderful display to help Hoffenheim sprint to the top of the German Bundesliga on Saturday, Luiz Felipe Scolari made a fairytale start to his reign as Chelsea coach one day later, and Lucas, Anderson and Ronaldinho have been impressing for Brazil during the Men's Olympic Football Tournament.
The aforementioned luminaries are not, however, being missed at the Estadio Olimpico. For the name at the summit of the Brasileirao, which entered its second half at the weekend, is Gremio.
O Tricolor Gaúcho were not among the pre-season favourites for gold. They were, supposedly, too short of top-level experience and match-winning genius.
Gremio have, nevertheless, recently evolved into masters at defying the odds. Only a fantasist could have predicted that, playing in their opponents' backyard in November 2005 and at a three-man numerical disadvantage, they would conjure up the only goal in the 11th hour to beat Nautico and snatch the most dramatic of returns to the Brazilian top flight. Thereafter, the Porto Alegre side entered the Copa Libertadores 2007 as unfancied underdogs, but they climbed mountains to reach the final before succumbing to Boca Juniors.
Gremio have upheld this theme during the ongoing league campaign, and they took a five-point lead into Round 20. It was at that stage, though, that they faced an acid test in the shape of defending champions Sao Paulo.
The pundits believed the Paulista giants would derail Gremio's challenge, and burst the bubble of confidence their ten-game unbeaten streak had created. Undeterred by this script, and the rain that poured down at the Olimpico, over 40,000 passionate Gremistas turned up to cheer on their heroes on Sunday.

The pitch was drenched and it was difficult to play in those conditions, so it was a very good performance
Gremio coach Celso Roth was, given the conditions, delighted with his side's win over Sao Paulo.
Their deafening roar began some time before kick-off and continued throughout the game, reaching its zenith when Edixon Perea scrambled home the only goal in the ninth minute and Alicio Pena Junior's final whistle kept the hosts five points clear of runners-up Cruzeiro. "It was a magnificent victory," enthused Celso Roth afterwards. "The pitch was drenched and it was difficult to play in those conditions, so it was a very good performance."
Perhaps Gremio's experience of playing under the showers of this Brazilian winter, which they did against Palmeiras and Coritiba during the three previous weeks, aided their success. Something that certainly did was a telephone call, which the solitary marksman required to gain pardon from Jorge Luis Pinto's squad for Colombia's forthcoming friendly against Ecuador. "Gremio are in great form and I want to be here to help the team win points and stay top of the table," explained Perea. "I spoke with the national team coach and, thank God, he understood."
Miserly record The ex-Bordeaux forward, 24, along with Reinaldo and Marcel, has been chiefly responsible for Gremio scoring an unparalleled 36 goals in the competition. Even more impressive, however, has been their defensive record. They have conceded just 12 goals all season, and only two - both penalties - in their last eight outings, a statistic indebted to the heroic goalkeeping of Victor and the obstinate defending of Leo, Rever, Thiego and especially Pereira.
"I don't keep count of numbers - they're just statistics," insisted Roth, who almost quit Gremio in April when, within a week, they were eliminated from the Campeonato Gaucho and Copa do Brasil. Fortunately for the supporters, he did not and the board's trust in him held firm when many would have turned their backs. The 50-year-old has conclusively justified this show of faith.
Roth is not resting on his laurels, though, as he attempts to keep Gremio en route to a third Brasileirão title, a journey that will continue against Flamengo at the Maracana on Thursday. "The defeat of Sao Paulo was the result of our collective effort and humility, and it was against one of our rivals for the title," he said. "But we can't relax - we have to keep winning."If Gremio can do that, not even the fiercest of rainstorms will dampen their supporters' mood.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Delírios de um gremista que acredita.


É gurizada. Começou o returno e vencemos a primeira decisão. Golaço à la Marulanda do também colombiano Perea. Se o treinador não fosse o Roth, o centroavante o Marcel e os laterais Paulo Sérgio e Pico, diria que seríamos campeões com todo a certeza. Estou confuso e tenho que compartilhar minha angústia com vocês. Seguem minhas impressões:


- O time: está muito bem equilibrado (como diz o professor Celso). A pegada é impressionante. Que preparo físico! Tá com a cara do Grêmio. Em vários momentos havia 3 jogadores gremistas cercando o adversário. Nunca ouvi a voz do Rafael Carioca e do William Magrão, mas eles estão gastando a bola. O Léo jogou uma barbaridade no jogo-treino pela Sulamericana e ontem bateu o brim do Dagoberto (quem não faria?). Dobra o salário dele, mas não deixa ele sair agora. Até o tranqüilo Victor intimou o Borges e mandou lembranças para a mãe dele. Pereirão e Réver, que zagueiros, sem vergonha de ceifar a bola. Tcheco, o maestro. E o Souza? Te vira Roth, vai ter que achar um lugar para ele. Erros de arbitragem... a fase é boa.

- Contas: na minha opinião temos apenas mais 2 concorrentes ao título. Vamos considerar que temos que fazer os mesmos 41 pontos do primeiro turno, o que dá e sobra. São 4 vitórias (Náutico, Portuguesa, Ipatinga e mais um) e 2 empates, em 10 jogos fora de casa, além de vencer todas em casa. Se ao menos empatarmos com o Palmeiras e Cruzeiro, o aproveitamento pode até cair.

- Violência: continua a campanha da imprensa do centro do país, dizem que o Grêmio é o time mais faltoso do campeonato, mas o que recebeu menos cartões. Ontem, até o baita macho Rycharlison (que escreve Rycky na camisa... que meigo) falou da violência do Grêmio. Por favor, isso é falta de assunto, basta pegar os jornais antigos na gaveta e copiar. É como escrever matérias sobre o Bacalhau do Batata, o Círio de Nazaré ou as compras de Natal. Mas vou confessar, eu gosto de escutar que o Grêmio é violento. Isso é uma arte, tem que saber bater. Eles não aprenderam ainda. O leite vai azedar de novo.

Enfim, eu acredito, desconfiando, mas acredito.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Atual Momento...


segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Carta ao Senhor Roth

Na época em que a política era algo engraçado, em que os caudilhos travavam espetaculares duelos verbais e onde as entrevistas dos governantes nada tinham de politicamente correto, existia uma prática denominada de oposição sistemática. Esta referida prática consubstanciava-se no livre exercício da crítica pela crítica, tendo a oposição a função de "cornetear" toda e qualquer ação praticada pelos governistas. Pode-se dizer que era uma prática irritante, quiçá até primitiva, mas sem dúvida era muito mais divertido (principalmente quando se estava na posição de bodoque e não na da janela).

Mas hoje, neste enfadonho mundo "fair play", trocou-se o ditado do "hay gobierno soy contra" pela denominada oposição responsável, onde os adversários se limitam a exarar suaves discordâncias, que nem de longe lembram os grandes embates de épocas remotas.

Neste prisma, não me furtarei a um dos precípuos objetivos deste blog: combater o "fair play".

Por isso, Sr. Celso Roth, sigo com minha oposição sistemática ao seu trabalho!! O senhor pode argumentar que está em primeiro lugar no campeonato, que o aproveitamento da equipe foi o melhor da história do campenato brasileiro de pontos corridos (detesto essa fórmula!), que temos a defesa menos vazada e o melhor ataque do certame. O senhor pode dizer que eu nunca assisti a um Grêmio tão bem postado fora de casa, vencendo os adversários longe do Monumental e não tomando conhecimento das "tocas" e das adversidades que lhe são impostas. Nada disso me contentará. Nada disso calará minha vaia contra este seu esquema retranqueiro, contra este seu jeito turrão e contra as péssimas modificações que realizas durante as partidas. Não pense que teu sistema defensivo é uma maravilha, pois a nossa única virtude lá atrás é o grande Victor, que possivelmente seria reserva não fosse o apoio da torcida.

E não adianta me dizer que futebol é seqüência e repetição, nem qualquer outra frase pronta, destas que o senhor costuma recitar após os jogos, em um tom de erudição digno da maior autoridade no assunto. Não adianta senhor Celso, sem a sua presença estaríamos bem melhor. Possivelmente não seríamos apenas a defesa menos vazada do campenato, mas a menos vazada de todas a historia do campenato nacional. Possivelmente, se não fosse o senhor, estaríamos a uns 10 pontos de diferença do segundo colocado. Enfim, sem sua prepotência, estaríamos bem mais felizes!

Esta é minha crítica! Espero que o senhor tenha a hombridade de aceitá-la e digeri-la, pois domingo novamente terei que suportar suas aparições na beira do gramado.

Mas venha cá um pouco. Mais no canto da sala, longe dos holofotes e dos microfones. Isto, aqui mesmo. Tem alguém olhando? Não? Ufa!!! Só quero agradecer por este primeiro turno fantástico. Muito obrigado! Apesar de tudo, montaste uma equipe muito competitiva! Não me leve a mal, mas como bom gaudério tenho que manter a aparência de durão e inflexível! Só mais uma coisa: não inventa de voltar a si, perder a concentração e marcar passo nesta segunda etapa! Ah, e avisa a direção que ainda precisamos de um atacante diferenciado. Aceita este abraço deste gremista mais feliz que mosca em rolha de xarope.