sábado, 4 de outubro de 2008

Surge mais um craque tricolor.


O jogo foi complicado. O time estava esfacelado moralmente e na escalação. Para piorar saímos atrás no placar, de novo falha na bola aérea e do Vitor (na minha modesta opinião era defensável). Não deu nem tempo para se abater, o estreante e promessa de craque, Douglas Costa empatou o jogo, após receber bola escorada del "Chengue". Antes do intervalo, Léo cometeu uma infantilidade indigna de capitão gremista, meteu um soco e um pontapé na cara do "acha que joga muito" Jorge Henrique. Tchê, quem não teria vontade de bater naquele nanico, mas não pode escancarar. O capitão não pode desestabilizar o time num momento delicado desse. Os procuradores cariocas do STJD devem estar se coçando e vem gancho bonito por aí.

A virada veio no segundo tempo, gol de cabeça de Réver num escanteio. Não poderia ser diferente, dada a falta de criatividade do time. No resto do jogo, administramos o resultado e não corremos grandes riscos. Valeu pela vitória, superação e manutenção da liderança compartilhada (eu não esperava nada do Atlético-MG).

Sobre as atuações individuais. Felipe Mattioni acrescentou qualidade ao time, fez várias jogadas de ultrapassagem interessantes e sofreu um pênalti escandaloso (quase foi decapitado) que o só o Cabeça de Porongo Roberto Lopes não viu. Esperava mais da "Jabuticaba do bolo" Morales, tem tamanho e vontade, mas perdeu um gol imperdível (até ele perder) e não fez mais do que o Marcel, lamentavelmente. Soares correu e reclamou muito. Thiego é assustadoramente inseguro e conseguiu cobrar 2 laterias seguidas para fora. Réver um gigante, jogou muito.

Parágrafo novo só para falar de Douglas Costa, baita jogador. Roth botou ele na fogueira e ele entrou com personalidade, fazendo gol e dando várias assistências para os companheiros. Mérito do treinador ou falta de opção? Deve ser mantido no time. Me lembrou a estréia de outra promessa tricolor, Tinga "Davi Canabarro", o segundo maior traidor do futebol gaúcho.

Breves comentários sobre os assuntos da semana:

- A direção gremista resolveu aparecer e cobrar o treinador. Finalmente se mexeram. Eu implorava por isso desde a derrota para o Goiás. Não sei se a decisão de concentrar o time por uma semana é eficaz. Já dizia o poeta infame: "O time do Presídio Central seria campeão brasileiro.".

- Implicações dos entreveros do GREnal: o Superior Tribunal de INJUSTIÇA Desportiva, está de sacanagem. Agora jogador não pode mais brigar em campo e a torcida não pode mais se revoltar nas arquibancadas. Os símios colocam a nossa torcida num curral, embaixo da torcida deles e a imprensa vermelha faz campanha de que nós somos violentos. Que há marginais infiltrados na torcida, ninguém discute, o problema é quando se atribui esse comportamento a só uma torcida. Acho constrangedor assistir GREnal com apenas 2.500 visitantes. Como os tempos são outros... Me pergunto: Por que fazer GREnal com espaço ridículo para a torcida visitante? Só para dizer que há duas torcidas? Vamos acabar com essa palhaçada. Se a polícia não tem condições de conter a violência, que se faça GREnal só para a torcida local.

- Eleições Grêmio 2008: as chapas são de apavorar. Continuísmo total. De uma lado, Duda Kroeff entende de futebol como eu de astronomia, já demonstrou toda sua (in)competência como vice de futebol. De outro, Vicente Martins, Homero Bellini Jr. e a turma do Guerreiro. Que baita laje !!!! Pensei que eles estivessem presos. Se ganharem, vão deixar o Douglas Costa sair de graça do Grêmio, como fizeram com o Ronaldinho "Bento Manoel", o maior traidor.

Obs: Sou contra a flauta, mas como fui provocado ao longo da semana... Tem gente que gosta tanto de chocolate (e banana) que hoje acabou se lambuzando.

Enfim, vamos focar no Grêmio ... quarta-feira tem outra batalha.

VAMÔ VAMÔ TRICOLOR !!!!!

2 comentários:

Luiz Fernando disse...

Sensacional, kbecinha! Baita análise.
Fecho contigo em tudo. Desde ridícula expulsão do Léo até a estréia do Douglas. O guri tem futuro, mas ainda é cedo para qq conclusão. Diferentemente da turma do aterro (onde um simpes drible leva o jogador à condição de Pelé), para ser craque no Grêmio não basta uma partida, é necessário comprovar a cada jogo.
Quanto às eleições, eu não lembrava que a turma do Vicente MArtins era a mesma do Guerreiro. Foi a única péssima notícia do dia.
SEguimos vivos.
Os traidores passam, o imortal fica!!!
Forte abraço.

adriano disse...

Muito bom!!!
A entrada de douglas e matione, somadas a presença de soares na frente, deram mais velocidade ao time. Com esses jogadores o contra-ataque foi uma possibilidade real.
Vi e revi o lance da expulsão do Léo. Acho que não dá pra crucificar o guri. Aquele pigmeu do botafogo merece mesmo uma bangornada. Pra falar a verdade, fiquei orgulhoso do lance. Reacendeu minha esperança que o verdadeiro futebol um dia voltará. Foi um lance de grande plasticidade. Muito bonito mesmo. O saracoteador do botafogo veio dar uma de malandro com o cotovelo pra cima e, no reflexo e no contragolpe, o Léo acertou as fuças do cara que quase deu um giro de 360º. A pisadinha na conclusão do lance foi um gran finale. O empresário do Léo tem que pôr esse lance no DVD do guri.
Melhor em campo, Rever incorporou a filosofia gremista. Ta jogando muito e sem frescura. Morales não mostrou muita técnica, mas sempre preocupou o adversário (Não tanto pelo perigo de gol, mas pela saúde dos jogadores botafoguenses).
Continuo com à crítica ao Roth. Não vi mérito dele na partida. Fez o que há muito deveria ter feito e que sua teimosia não permitiu: tirar o Marcel, pelo menos pra preservá-lo, pôr o Matione, utilizar o Douglas (se não fosse por falta de opção, ele deixaria o guri no banco). Helder ainda é uma opção precária e William magrão é indispensável no atual contexto tricolor. Orteman, que foi muito mal no grenal, tem que esperar.
As chapas pra eleição realmente não são muito animadoras e merecem nossa reflexão. Temos que ficar atentos aos debates.