sábado, 13 de setembro de 2008

Reinaldo, Roth e as eleições

Hoje temos mais uma decisão! O adversário vem fazendo ótima campanha no segundo turno e, na maioria daz vezes, costuma complicar os jogos contra o Grêmio, seja no Serra Dourada ou no Monumental.

O Sr. Roth, talvez começando a entender que não tem vocação para professor Pardal, voltará a utilizar o esquema com dois atacantes de ofício, sendo um de velocidade e outro mais "plantado" na área.

Em virtude da lesão do Perea, Reinaldo ganha nova chance. Este jogador vinha entrando bem durante os jogos, marcando diversos gols e se constituindo em peça importante nas jogadas de contra ataque. Particularmente, acho que ele merece uma seqüência de jogos. É um atacante agudo e que tem faro de gol.

Tomara que aproveite esta oportunidade e crie um problema a mais para o Celso Roth escalar o time.

De outra banda, em meio as inúmeras preocupações que só tem quem é lider do campeonato, esta semana foi marcada por dois assuntos extra-campo: o indiciamento do Roth e o abertura do processo eleitoral do tricolor.

Quanto ao primeiro tema, a direção adotou a postura correta, tratando o caso como um problema particular do treinador. Não obstante as inúmeras e impublicáveis besteiras jurídicas veiculadas pela imprensa, acho que o episódio não abalará o grupo de jogadores, até mesmo porque tudo leva a crer que o Roth foi mais vítima que criminoso.

Já em relação à sucessão presidencial, as notícias não são muito animadoras. Após a trágica experiência vivenciada com o Obino, volta-se a falar em consenso para a eleição presidencial. Esta prática é fadada ao insucesso! O processo democrático fortalece a instituição e torna o clube mais transparente, permitindo o debate e o apontamento dos erros e acertos da gestão que se encerra.

É hora de fiscalizar e não permitir que meia dúzia de caciques - sem desmerecer o gremismo e a competência de ninguém - decidam o futuro do nosso clube. A participaçao do associado nas eleições foi conquistada "a duras penas", de modo que hoje não se pode excluir o sócio desta escolha fundamental. Não esqueçamos que ao próximo Presidente competirá administrar a questão atinente à Arena!




2 comentários:

adriano disse...

Essa história de consenso me da arrepios. Uma disputa eleitoral fortalece a democracia conquistada e contribui para o aprimoramento das propostas que visam o bem do clube. Quanto ao jogo de ontem contra o Goiás percebi que, diferentemente a outras partidas, o adversário terminou correndo tanto quanto o Gremio. Temo que os demais clubes estejam fisicamente em ascensão enquanto o Gremio parece já estar no limite. A questão física já foi decisiva a nosso favor em várias partidas. Quando a condição física é equivalente, prevalece a técnica. O Roth não colocou Morales no banco para não se indispor com andre luis ou soares que teriam que deixar de ser relacionados. Acho que esse erro somado ao pé frio dele que já começou a funcionar é motivo suficiente pra pensar na sua demissão.

Luiz Fernando disse...

Eu não joguei a toalha. Longe disso. MAs é inegável que preteou o olho da gateada.
O problema não se resume na derrota. A preocupação, já manecionada em outros postagens, é com a queda de produção da equipe e com os alas andam devendo futebol. Tomara que esta derrota sirva para sacudir o grupo, e fazer com que o time volte a jogar aquele futebol competitivo e de imposição do primeiro turno.
Ah...e aproveito para concordar com o Jabba, que, ao final do jogo, afirmmou que o Souza está bagunçando o nosso meio-campo. Nada contra este jogador, que possui ótima qualidade. Mas o time está(ou estava) certinho sem ele. Penso que ele pode esperar um poucou mais, ou então assumir a ala direita.
Mas sigamos a batalha! Afinal: para nós, nunca é fácil!!!