segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Soares e a chave perdida

Existem coisas na vida que somente são valorizadas quando da sua falta. Ninguém presta muita atenção na importância da água ou da luz, salvo quando se passa um dia inteiro sem poder tomar um banho ou se utilizar dos aparelhos que funcionam com energia elétrica.

A mesma lógica vale para a chave reserva do carro. Aquela chave que a gente joga lá no fundo da gaveta e não dá a mínima importância a ela, até o dia em que, por acidente de percurso ou por notória ausência de organização do motorista, o carro fica trancado com a chave titular lá dentro.

Ontem, o imortal precisou de uma chave reserva, destas que ficam escondidas, lá no fundo do armário (ou do banco de reservas), em completo esquecimento.

O jogo estava encardido, o Vasco recuado, nossos alas em péssima jornada (fato que tem se repetido nos últimos jogos) e tudo parecia se encaminhar para um desastroso empate. Não obstante todo este quadro desolador, presenciamos a saída prematura do "El ciclon" Peréa, por
motivo de lesão. Quam entrou em seu lugar? Soares, a chave reserva da máquina tricolor, que abriu as portas para mais uma vitória do imortal.

Eu não estou entre os fâs deste jogador, mas é imperioso que se atribiua a ele boa parte do nosso sucesso no jogo deste domingo. Autor do primeiro gol e do passe para o segundo, Soares saiu do esquecimento para escrever mais uma vitória com a cara do Grêmio: sofrida, suada, na base da superação e contras todas as adversidades que nos são impostas.

Podemos não ter grandes nomes ou craques com salários astronômicos, mas temos um time que se apresenta sólido e maduro, além de chaves reservas que vem salvando a equipe na hora do aperto.

A ressaltar, ainda, a boa partida do Tcheco, que jogou fora da sua posição habitual, e o empenho comovente do Marcel, que supre a ausência de técnica com muita superação e imposição física.

Não podemos deixar de parabenizar a inigualável torcida tricolor, que novamente compareceu em bom número e não parou de alentar por nem um minuto (não é por acaso que tantos nos copiam!!!).

Por fim, em nome dos blogremistas, saudamos a chegada de "gremistaça" Letícia, filha dos tricolores Jabba e Clarissa. Nada como, no primeiro dia de vida, celebrar mais uma vitória do imortal tricolor e a liderança isolada do campeonato brasileiro.

Agora é encarar o Fluminense nos seus domínios, com a obrigação de manter a distância que nos separa do Palmeiras.

Vamos, vamos GRÊMIO "copero"!

3 comentários:

amarante disse...

É isso aí doutor!!!
Muito importante, na vida e no futebol, termos alternativas para os possíveis acidentes e adversidades. O Gremio tem suas chaves reservas, nenhuma brilhante é verdade, mas todas desempenhando suficientemente suas funções. O que mais estou gostando é o espírito coletivo. O Soares estava fora havia um tempão e depois do gol foi abraçar o Roth. Pelo que se vê ninguém se melindra por ficar no banco, o que é fundamental pra se ter acima de tudo o objetivo comum. As entradas de andré luis e helder também surtiram efeito, pois paulo sergio e pico não faziam boa jornada. A preocupação com o palmeiras deve ser um estimulo a mais pra manter a postura de um grupo focado e unido.

Valtinho Gremista disse...

Além do reforço da Letícia na hinchada tricolor, recebemos também um novo reforço (ou chave reserva): o atacante castellano Richard Morales...
Para o jogo de sábado, deixem comigo: Trarei a 1ª vitória do Grêmio no RJ neste ano.
SDS Tricolores

Kbecinha disse...

Dizem que o Soares não estava sendo aproveitado porque não demonstrava empenho nos jogos e treinamentos. O fato de nem estar sendo relacionado p/ os jogos deve ter mexido com os brios do jogador. Acho que a comissão técnica trabalhou bem esse aspecto. Ele voltou bem diferente, comendo a grama e vibrando intensamente nos gols. Ganhamos um jogador p/ a busca do título.