sábado, 12 de julho de 2008

Após a tempestade vem a bonança?

Os últimos jogos trouxeram grande preocupação à nação tricolor. Após o nó tatico que levamos no GRE-nal e a atuação apática diante do rídiculo time do Botafogo, fomos obrigados a assitir a uma equipe completamente desorganizada diante do deseperado time do Santos. Mas, a par da desorganização tática, o que mais me chamou a atenção foi a péssima qualidade técnica do futebol apresentado. A bola parecia queimar nos pés dos nossos jogadores, que mal conseguiam trocar passes de dois metros.
Longe de mim exigir um futebol de pedaladas, firulas, toques de letras e outras "frescuras" que os "cariocas" tanto adoram. Mas futebol não é feito apenas de vontade, pois se assim fosse o Nunes seria um dos maiores jogadores de todos os tempos, com diria o velho Jabba. A técnica sozinha não faz um grande time, mas ela é imprescindível para o surgimento de uma equipe vencedora.
Diante deste quadro, a chegada de Souza e Orteman (ou Ortemann) e a reestréia de Tcheco trazem esperança ao nosso povo.
Sinceramente não lembro de grande partidas do Souza, mas, por esperança e fanatismo, filio-me à corrente que afirma ser ele um reforço de peso. Ademais, pior que aqueles que estão jogando ele não é.
Quanto ao Orteman, recordo-me que era uma grande jogador. Não sei como está hoje, com 30 anos de idade. Se não tiver descuidado da parte física, acrescerá muito na meia-cancha do Grêmio.
O Tcheco, por sua vez, não é o jogador dos meus sonhos. Acho que ele se esconde quando a coisa aperta. No entanto, não posso negar que é um atleta de grande técnica e que exerce um liderança positiva no grupo, de sorte que seu retorno possui mais contornos positivos que negativos.
Resta-nos manter a esperança de que o time se reencontre, para que possamos sonhar com uma vaga na Libertadores. Quem sabe, após a tempestade venha a tão sonhada bonança.
Enfim, que novos e bons ventos soprem para os lados do Olímpico e que a retomada das vitórias se inicie neste domingo, contra a Portuguesa do saudoso e injustiçado Gavilán e do velho e nada bom Patrício.

VAmos Grêmio, vamos!!!!

2 comentários:

adriano disse...

É isso aí, precisamos de qualidade. Acho que vontade não falta a esse grupo. O resultado contra a portuguesa foi a grande noticia deste domingo porque o futebol apresentado foi escasso. Sofrer como sofremos pra ganhar em casa do time medíocre da portuguesa é sinal de que há muito por fazer. A participação de Tcheco não foi suficiente pra fazer o Gremio ter o controle do jogo. Talvez a chegada de souza e orteman façam o do Gremio um time com um pouco menos previsível.

Jabba disse...

Concordo com ambos os comentários, acho que o time vem jogando mal e mostra uma total desorganização. Vão dizer que sou implicante, mas nosso técnico não é capaz de ver o óbvio, que o esquema que ele montou não está mais funcionando, que o Rodrigo Mendes não pode jogar no meio (na verdade não pode jogar em lugar nenhum), que o Tcheco não tem mais pique para ser volante, que nossos alas não são alas, etc. A campanha engana, sei que ninguém vai tirar o Roth agora, mas ao menos a direção podia chegar nele e mandar ele fazer o óbvio, pelo menos até os reforços estarem a disposição.