sábado, 5 de julho de 2008

Vai te embora mercenário !!!!!




Estava estranho, o Roger fazendo juras de amor ao Grêmio, que o time havia recuperado a sua forma física e sua vontade de jogar... De uma hora para outra a fogueira da paixão se apagou e o amor pelas verdinhas falou mais alto. Sinceramente, o cara jogou bem, mas nunca engoli a idéia de vê-lo vestindo a camisa do Grêmio. Ele é muito sorridente, dava entrevista antes dos jogos desejando um bom espetáculo ao telespectador, posava com a namorada na ilha de Caras, abraçava os adversários. Enfim, vai te Catar.

Depois de casos como de Luizão e dos filhos da véia Miguelina, caímos de novo nesse conto de amor eterno ao clube. A diretoria fica se lamentando e lemos que um aspone vêm a público dizer que não tiveram cautela na hora de fimar o contrato e lamenta que vamos receber meia dúzia de mil-réis pela saída do jogador. Bando de incompetentes. Estão há 100 anos administrando o clube e não aprenderam a redigir um contrato? Ou será que estão levando por fora? Pelo menos proibiram o uso da sala de imprensa na coletiva de despedida. Por mim, não dava entrevista nem no estacionamento do estádio, mas no Preliminar e mandava a Geral bater o brim dele e currá-lo à Secco.

Basta !!!!!! Vamos montar um time calcado na filosofia do clube. Não basta jogar bola, também tem que correr, comer grama e morrer pelo clube. Pênalti se bate com uma bomba no meio do gol, sem essa viadagem de paradinha. Título se comemora com sangue na testa, não confete e serpentina. Gol se comemora batendo no peito e gritando "Eu sou foda...", não erguendo os dedos para o céu. Chega de fazer do clube uma vitrine para empresários e jogadores descompromissados. Vamos montar categorias de base descentes e buscar valores lá na campanha. Jogador acostumado a jogar de pé descalço com unha encravada, desviando da bosta seca e devolvendo os coices nos cavalos.

4 comentários:

amarante disse...

Perfeito, sr kbecinha!!! Concordo com tudo, mas não conseguiria dizer de melhor forma! O cara jogou bem, temos que admitir, mas suas simulações bizarras tentando cavar falta constrangiam todos os gremistas. O único carioca que foi ídolo por aqui foi Ranato Portaluppi, que nasceu em Bento e quebrou muita geada de manhã cedo. Temos que parar de rasgar dinheiro por incompetência. Confiar nesses malacos e suas juras de amor é muita ingenuidade da diretoria. Tem que pôr no papel. Já avisei: boa parte do nossos jogadores tem de ser gaúchos (ou filhos de), caso contrário descaracteriza. No último jogo não havia nenhum jogador do Gremio nascido no Rio Grande. Temos que melhorar as categorias de base pelo estado. Tá cheio de guri bom por aqui querendo jogar no Grêmio. Jogador do Gremio tem que ter procedência.

Luiz Fernando disse...

Grande Kbecinha!

Concordo com tudo q foi dito, em especial a última frase!!!
E temos q ter em mente a expressão por ti utilizada: não basta jogar bola!!!
abraço

Jabba disse...

Concordo totalmente na parte sobre o Roger. Agora quando ao resto, tambem acho que não basta jogar bola, mas tem que jogar ao menos um pouco de bola, senão daqui a pouco o Nunes tá de volta.
E o que se viu ontem também é constrangedor, ninugém em campo com o manto tricolor conseguia acertar uma jogada simples, uma troca de passes, um lançamento.

rika disse...

Mesmo colorado, acho que devo concordar com isso aí, o Roger é o autêntico carioca, falso, marrento, com uma leve inclinação ao homossexualismo. Me admira um clube gaúcho contratar um cara desses. Não sou radical a ponto de dizer que é só gaúcho que deve jogar aqui, mas acho que o cara tem que ter um comprometimento com a história do clube, não pode ser um fresco qualquer.
Obs: eu nem sei se o Roger realmente é carioca mas que ele é o autêntico carioca, isso eu posso afirmar.