segunda-feira, 12 de maio de 2008

Contente, mas com prudência!

Vencer é sempre bom. Vencer na estréia é melhor ainda. Vencer na estréia, fora de casa, contra o atual bi-campeão brasileiro e com gol do Pereira é algo que beira o inimaginável.

Mas (e tudo na vida tem um MAS!), assim como não costumo fazer terra arrasada nas derrotas, também não é do meu feitio supervalorizar as vitórias, até porque vencer deve ser uma constante em um clube que tem o tamanho, a força e a torcida do Grêmio.

Portanto, mesmo vibrando com a importância ímpar desta vitória, que trará tranquilidade e confiança ao grupo, não posso deixar de externar minha preocupação com algumas declarações proferidas por setores da imprensa e, principalmente, por alguns dirigentes, no sentido de que os reforços não se fazem mais tão urgentes.

O jogo mostrou que precisamos imediatamente de mais qualidade, para que possamos objetivar algo mais no campeonato brasileiro. Não podemos nos enganar e achar que podemos esperar para reforçar a equipe. A hora é agora! Depois poderá ser tarde demais.

Domingo lotaremos novamente o Olímpico e, como sempre, apoiaremos incondicionalmente o tricolor contra o representante máximo do tal futebol-arte. Afinal, apoiamos sempre, na boa ou na ruim. Mas que este apois não se confunda com resignação, pois, justamente por sermos tão apaixonados, exigimos sempre um tima a altura desta maravilhosa torcida.

Grêmio: obrigado pela vitória! Direção: o débito ainda é grande!

6 comentários:

Jabba disse...

A direção tá devendo muito. A começar pelo técnico.
Mas acho que o maior retrocesso é a falta de convicção, de um planejamento de médio e longo prazo que permita manter uma base de time e não ter que remontar um time a cada seis messes. Sei que não é fácil e que o time não tem dinheiro, mas nunca vai ter enquanto administrar pensando só no imediato.

ccx, senhora jabba disse...

Faltou falar mal do juiz ladrão de domingo.

Delenda est Roth!

Arbº disse...

todos no Olímpico.
e o Pereira merece, tá com tudo esse ano

amarante disse...

Tche!!! Realmente a direção tá em débito, mas não é com o marcel que vão saldar a dívida. O cruzeiro é um time ajustado e mesmo assim ele não conseguiu se firmar. Acho difícil que no Gremio, que está em formação, o marcel tenha melhor desempenho. Acho que a direção tá apontando para o lado errado.

Maurício disse...

é professor... a coisa ainda está feia e não dá para relaxar. Muito boa a vitória, muito preocupante a postura da direção de que agora "podem contratar com mais calma e sem pressa". Ainda vem com marcel para cima de nós? Nada pessoal, mas o que este cara fez para vir, de novo, para o Grêmio, quando já esteve aqui, e só recebeu salário sem dar nada em troca. Tá certo que tudo é mais difícil para o Grêmio, e daí, porque melhor, mas pelo menos um centroavante decente nós merecemos. Mas para ganhar do "Flumengo" no domingo, com a força da torcida, ainda dá. VAmos em frente. Abraços, Maurício, Santa Maria.

Eduardo disse...

Bom, vamos a minha primeira de muitas manifestações nesse blog. Primeiramente gostaria de felicitar estes gremistas pela iniciativa, sempre crescemos nas dificuldade e desta vez não será diferente. Peço desculpas pois creio que as idéias hoje virão meio atropeladas, pois acabou agora o jogo deles e os morangos mofaram de novo... Mas como diz o programa o que importa é o Grêmio e nossa situação é preocupante. Em meio a notícias de sonegação da empresa que erguerá nossa próxima casa,cada vez mais mais fica evidente que o Grêmio, mais precisamente o controle do clube, é palco para promoção política e prestígio econômico e social. Quando deveria haver uma renovação do quadro administrativo do clube,com a "democratização" dos sistema eleitoral do clube, vemos a perpetuação dos velhos grupos, tão distintos como os liberais e conservadores que brigavam politicamente, nos tempos do império, daquele país acima do Mampituba. Diante desse quadro, nada mais óbvio, que o planejamento de futebol fique em segundo plano, se que é há realmente um planejamento. Acho ótima a vitória contra o São Paulo, mas ela não pode ser vista como um feito ímpar; é dever do time do Grêmio, jogar pra ganhar contra qualquer time deste campeonato dentro e fora de casa. Não acho que o grupo do Grêmio tenha um elenco forte, assim como não o acho um elenco fraco. Nosso time precisa de algumas peças, mas falta capacidade de armar um time com as peças que possui. E neste tocante a culpa não é somente do Sr. Celso Roth. A culpa é de quem tem tempo de contratar um treinador, busca um na Arábia, a peso de ouro, e não pesquisa pra ver se ele tem o perfil pretendido; a culpa é de quem demite um treinador invicto e contrata outro que tem uma rejeição maior de 80% antes mesmo de assumir o trabalho; a culpa é de quem vai esperar o técnico perder uma partida em casa pra então demití-lo, desperdiçando um mês de treinamento. Por final, espero compartilhar com o Amarante a frase de que voltamos à Libertadores, apesar do Roth e da direção-faço-políticagem-e-ergo-arenas que possuímos. Espero que esse blog sirva como nascedouro de novas idéias, de uma nova maneira de pensar essa filosofia do gremismo, carregada de luta, suor e taças.
Um grande abraço deste gremista, que sabe que seu time joga esse campeonato como convidado e que defende que pra, entrar na azenha, brasileiro precisa de passaporte.